Bogota, Colombia – April 2009 – Parte 2/2

 

Outra grande atração turística na praça é o Capitolio Nacional de Colombia, sede do congresso (legislativo) do pais, construído em 1847 e seguramente o prédio com estrutura arquitetônica mais imponente da cidade, mescla do trabalho de um dinamarques, um francês e um italiano, que certamente se inspiraram na Roma antiga: todas as colunas principais são jônicas. É pesadamente guardado por seguranças e militares armados até os dentes, provavelmente uma herança dos tempos de ataques terroristas à cidade. A visita ao interior é programada, paga, com escolta e não permite fotografia, mas vale à pena: os salões são um desbunde em termos de beleza. Um bonus que o capitólio proporciona ao final da tarde é a cerimônia de troca de guarda, nos fundos do complexo, sucesso absoluto entre adultos e crianças.
 


 

Depois de caminhar tanto nada mais justo que juntar-se ao colombiano médio e tomar um café da tarde em uma das dezenas de biroscas e/ou padarias espalhadas pelo centro histórico de Bogotá. Eu recomendo La Botica Express Gourmet, um lugar aconhegante para saborear uma mil folhas e alguns croissants, acompanhados do café mais famoso e gostoso do mundo, o Juan Valdez. Ou você não sabia que a Colômbia é a maior exportadora de cáfe do mundo e uma das principais fornecedoras da cadeia Starbucks, um ícone norte-americano? O tratamento profissional – principalmente marketing internacional – feito em cima do produto é um exemplo digno do livro texto do Kotler. Hoje, café colombiano é sinônimo de qualidade, o que tira o produto da vala comum de uma commodity e o deixa com uma marca premium, cujo valor é muito maior graças à percepção fortemente positiva do mercado consumidor externo, especialmente no Japão e Estados Unidos.
 
 
Existem dois museus que eu recomendo enfaticamente para qualquer turista em Bogotá. O primeiro é o Museo de Arte Colonial, inaugurado em 1842 e que se localiza em um edifício construído no século XVII. O museu exibe pinturas, arte em madeira, jóias, livros e documentos da era colonial, incluindo obras do maior pintor barroco colombiano de todos os tempos, Gregorio Vásquez de Arce y Ceballos. Exibe também obras equatorianas, peruanas, mexicanas, espanholas e centro americanas. Minhas peças prediletas foram: Dos Mujeres, de Acevedo; Indias de Oaxaca, de Gutierrez; Espalda, de Jaramillo; e El Ultimo Toque, de Zerda. Outros destaques vão para o admirável acervo de obras religiosas.
 

 
O segundo museu, um dos mais famosos do mundo e de visita obrigátoria, é o Museo del Oro, administrado pelo Banco de La Republica. Depois de passar por um esquema de segurança bem rígido, você pode usufruir de um passeio em vários andares para admirar peças artesanais em ouro, algumas delas realmente pequenas, o que desafia à imaginação: com que diabos eles conseguiam por tantos detalhes em superfícies tão pequenas? Além do trabalho dos ourives pré-colombianos, existe um acervo de 25 mil objetos em cerâmica, ossos e conchas. A Balsa Muisca é, de longe, a peça mais impressionante do acervo e, vendo-a ao vivo e a cores, dá para entender um pouco como tantos homens enlouqueceram tentando encontar o El Dorado.
 

 
À noite, para jantar, recomendo um dos restaurantes mais tradicionais de comida colombiana gourmet da cidade: o Club Colombia. O ambiente é bem gostoso, moderno e elegante, ideal para um jantar romântico a dois. O casarão de dois andares que hospeda o negócio é um espetáculo, graças a sua beleza colonial. Ao som de música tropical caribenha ao vivo, pude curtir um guisado de peixe apimentado em um molho de leite, mostarda e cebola (la cazuela de pescado, especialidade local), além de uma fatia de torta de tapioca com sorvete de baunilha. Grande pedida…
 

 
Outro restaurante ótimo para jantar é o Harry’s, do chef de mesmo nome, Harry Sasson, de reputação internacional. Se você tiver bala na agulha para pagar esse caríssimo ponto de bóia, poderá experimentar uma das melhores corvinas que já comeu na vida. A torta de goiaba com sorvete também leva à estrada para a perdição. Outra grande vantagem de escolher esse restaurante para jantar, especialmente para solteiros, é que está localizado no centro da vida noturna de Bogotá, a uma quadra do maior shopping center da cidade e próximo a um sem número de pontos da balada colombiana, cheio de mauricinhos e patricinhas locais.
 

 
A última dica de restaurante para comer comida típica colombiana é o Salto del Angel, atualmente um dos lugares favoritos da juventude bogotana que gostam de assistir partidas de futebol enquanto comem. Eu preferi o segundo ambiente – o restaurante – não o sports bar. Para comer, recomendo a vitela à Mexicana, chamado Combo de la Frontera, a fantástica salada verde com manga e as empanaditas de pollo (frango) servida com dois molhos picantes.
 

 
É isso.
 
Veja aqui quase 500 fotos em alta resolução da cidade de Bogotá, na Colômbia. Não necessita fazer nada, basta clicar:
 
Para melhor visualizá-las, sugiro que você clique no botão Slide Show. Não esqueça de incluir a legenda (options, abaixo à direita – marque always show titles) durante a exibição dos slides.
 
Advertisements
This entry was posted in América Latina. Bookmark the permalink.

One Response to Bogota, Colombia – April 2009 – Parte 2/2

  1. Luciano says:

    Cara… não adianta…eu gosto muito de conhecer os lugares, os museus, saber sobre a história e tudo o mais do lugar…mas quando chega a imagem de uma corvina ou de uma vitela à Mexicana….AFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFÉ a melhor parte. Tenho que procurar um lugar aqui que tenha algo próximo a esse maravilha.Já pensou em escrever um livro sobre suas viajens? Pense bem!!! :)[]´s

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s