Junho de 2008 – Segovia, Espanha

 
Cheguei a Segovia por trem, vindo de Madrid, em 1 hora de viagem. Segovia é uma pequena cidade medieval cuidadosamente preservada, situada ao noroeste de Madrid, no sopé da Sierra Guadarrama. A cidade velha fica bem no topo de uma montanha, inteiramente cercada por uma muralha que somente havia visto em filmes de contos de fada. Considerada patrimônio da humanidade pela UNESCO, Segovia é fácil de explorar à pé e suficientemente pequena para concentrar todas as atrações. O tipo de cidade turística que se pode curtir (bem) em dois dias.
 

 
Os segovianos, ao contrários dos "grossos" madrileños são gentis e atenciosos com turistas. Muito católicos (durante a missa no Domingo a cidade fica vazia) e chegados em uma festa, especialmente um vinhozinho nos bares (espalhados em quantidade pela parte central), a mim me parece que os habitantes de Segovia são pessoas que, por opção, escolheram uma vida interiorana tranquila. A população beira somente 56,000 pessoas e uma boa parte se compõe de estudantes das faculdades de Magisterio, Informática, Ciencias Sociales Jurididas Comunicación da Universidad de Valladolid. Imaginem passar quatro anos estudando em uma cidade como essa?
 
 
 
A primeira grande atração de Segovia não pode ser facilmente ignorada, logo na chegada à cidade: o Acueducto Romano. Em uso até recentemente final do século XIX, o aqueduto foi construído pelo imperador Vespasiano no século I AD. Essa maravilha da engenharia antiga permite transportar água em forma de fluxo contínuo desde uma fonte natural até o ponto de consumo. Apesar de ser uma invenção grega, coube aos romanos aperfeiçoarem sua construção graças ao domínio da tecnologia para fazer concreto. A unidade política e a força econômica do império acabaram por difundir esse tipo de construção. O aqueduto de Segovia capta água do Rio Frío e a traz por 17 quilômetros até a cidade. O sistema é complexo e a ponte de 728 metros, parte mais visível da obra, é tão popular que todos acabam por considerá-la como o próprio aqueduto. Segundo conta uma lenda local a obra não é romana, mas fruto de um trabalho do Diabo. Uma criada levava água todos os dias da fonte até o castelo do seu senhor, por várias milhas. Para encerrar seu suplício, decidiu invocar o coisa-ruim e fazer um pacto: se Belzebu bolasse um jeito de levar a água diretamente da fonte para o seu patrão, encerrando seu martírio, ela entregaria a sua alma em troca. Mas a solução deveria ser concluída antes do amanhecer. Durante toda a noite uma grande tempestade assolou a cidade, mas somente a menina enxergava a verdade: uma legião de demônios comandados por Satã furiosamente trabalhando, frenéticos, na construção da obra. A garota viu que fez merda e rezou muito arrependida, aparentemente não sendo escutada. Quando Belzebu, confiante, estava para colocar a última pedra no aqueduto, o canto da galo e um raio de luz no meio da escuridão anunciou o novo dia, estranhamente mais cedo que o o normal. A mulher se salvou e a obra permaneceu, como Ponte del Diablo.
 
 
 
Bem embaixo do aqueduto encontra-se o restaurante que serve o melhor leitãozinho assado da cidade: o Meson de Candido,  construído em 1905. Além do visual espetacular, por alguns bem gastos Euros você se delicia comendo um cochinillo asado al horno, o tal bacorinho ultra macio, carninha derretendo na boca e pela tostadinha, como um torresmo. Yummy
 
 
Depois de subir uma longa escadaria ao lado da ponte do aqueduto e cruzar os muros da cidade velha, você começa a caminhar e imaginar-se naqueles tempos medievais. Cada rua estreita, casa de arquitetura gótica, igrejas e o grande castelo no fundo, tudo contribui para um sentimento de deslocamento temporal. Como a corte de Alfonso X, el Sabio, durante o século XII, a cidade foi brindada por contruções belíssima e uma excelente infra-estrutura, feita claramente para durar.
 

 
Disparado o lugar mais espetacular de Segovia, o Alcazar é um gigantesco castelo medieval construído entre os séculos XII e XVI. Só entrar pela entrada principal do castelo cruzando a ponte levadiça sobre o fosso (fundo, muito fundo), já vale a entrada de quatro euros. Parece saído de uma história infantil. Em um passeio de mais ou menos 3 horas, você visita o interior dessa fortaleza, que reproduz fielmente sua época, assim como as torres mais altas, além de perder o fôlego com o visual grandioso dos arredores.
 
 
O castelo/fortaleza habitado muitas vezes por vários reis e rainhas, de Alfonso X até Felipe II, sendo considerado um dos mais suntuosos palácios do século XV. Além da belíssima decoração luxuosa de época, seu interior ainda abriga um museu de armas e um arquivo militar. Porém a suntuosidade do interior do castelo não se equipara com seu exterior. Em outras palavras fica longe do que se poderia imaginar após anos vendo filmes e lendo histórias de princesas. De fato, o lugar não tinha água encanada, calefação, banheiros equipados ou ar condicionado. A nobreza não ligava para higiene: tomavam banho só de vez em quando com "paninhos" ou de "baldinho"; não escovavam os dentes (imaginem a quantidade de gente "bonitcha" com dentes podres…); e comiam com a mão (a direita, pois boa parte usava a esquerda para limpar o traseiro). Infestação de piolhos (sobretudo nas perucas), ratos e baratas no interior do castelo eram comuns. Não me admira que a expectativa de vida média na época era de 30 anos… Chato sacanear com um sonho de infância assim…
 
 
Outra atração turística da cidade é a Catedral de Segovia, construída em estilo gótico-renascentista entre os séculos XVI e XVIII. De fachada austera e com uma torre de altura e formato pouco usuais, a catedral possui um claustro hispano flamenco lindo. Pequena que não permitiam fotografias de seu interior… Todas as vinte capelas existentes na igreja possuem algum tipo de artefato de ouro e/ou pinturas de autores espanhóis famosos.
 
 

 
Veja aqui todas as fotos (mais de 200) em alta resolução da linda cidade de Segovia.
Para visualizá-las (slide show) é necessário um cadastro no yahoo.com ou yahoo.com.br, ou direto no flickr.com
Não esqueça de incluir a legenda (options, abaixo à direita – marque always show titles) durante a exibição dos slides. Todas as fotos podem ser baixadas/downloaded em altíssima resolução.
 
É isso.
Advertisements
This entry was posted in Europa. Bookmark the permalink.

One Response to Junho de 2008 – Segovia, Espanha

  1. Luciano says:

    A lenda da ‘Ponte del Diablo’ é otima, se fosse morador da cidade, procuraria a pedra faltante e faria propaganda para os turistas.1 Euro para mostrar onde fica o lugar que deveria ficar a ultima pedra.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s