Abril de 2008 – “Eeeeeeu fui às touradas de Madrid, pa-ra-rá ti bum…”

 
Não, não presenciei nenhuma tourada. Voltei à Madrid pela terceira vez e lembrei-me de uma antiga marcha carnavalesca do Braguinha (o mesmo autor de "Carinhoso"), já falecido, chamada "Touradas de Madrid". Minha vida mudou tanto esses últimos três anos que às vezes me pego pensando se algum dia vou voltar "pra ver Peri beijar Ceci"…
 
Anyway, falemos de turismo e cultura madrileña, não necessariamente nesta ordem. Minha chegada à Madrid desta vez aconteceu em grande estilo: de trem bala, vindo de Barcelona. A Espanha têm investido uma nota – estima-se mais de 500 milhões de Euros – para implementar uma infra-estrutura de trens de alta velocidade no mesmo padrão utilizado na Alemanha e Holanda. Na verdade meu plano era alugar um carro e passear por dentro da Espanha, mas o custo do aluguel, combustível e, principalmente, incontáveis pedágios, fizeram-me desistir da idéia. Pagando 150 Euros você viaja de forma ultra-confortável, muito semelhante à primeira classe de um avião comercial: serviço de primeira, assentos dos sonhos, bebida à vontade e comida surpreendentemente gostosa. No meu caso foi uma entrada feita de bacalhau e o prato principal um assado de lombo de porco com pure de maçã. Estava com tanta fome que esqueci de tirar fotos dos pratos dessa vez… Tudo isso a 350 quilômetros por hora… A estação de chegada foi a famosa e histórica Atocha (não, não estou de sacanagem). Inaugurada em 1851, mais parece uma gigantesca estufa, quase toda em vidro e com um montão de vegetação tropical como decoração. Essa estação foi um dos 4 alvos da organização terrorista Al-Qaeda, durante o atentado de 11 de Março de 2004, quando morreram quase 200 pessoas.
 
Estacion Chamartin - Trem 1Estacion Chamartin - Trem 2
Train - Barcelona - Madrid 1Estacion de Atocha 1Estacion de Atocha 2

 
Em 1852, durante a época de ocupação árabe (mouros), o Emir Mohamed I construiu um forte em uma localidade central da Espanha, com a finalidade de proteger a importante cidade de Toledo. O nome do forte? Mayrit, que mas tarde se tornou Magerit e então Madrid, uma pequena comunidade em volta de um forte. Hoje seis milhões de espanhóis vivem na região metropolitana e formam a terceira área mais densamente povoada da União Européia. O clima da cidade é mediterrâneo continental, ou seja, não visite a cidade no verão: as temperaturas podem chegar facilmente a 35 graus, mais com uma sensação térmica de 40 graus por causa da umidade (efeito "sauna", graças a ausência de uma grande massa de água para aliviar o trampo). O inverno é bem gelado, podendo nevar (temperaturas inferiores à 5 graus – com vento…)
 
Calles de Madrid 1Calles de Madrid 2Calles de Madrid 27
Hotel Ritz 1Museo del Prado 10cMuseo del Prado 11b
Palacio de Comunicaciones 1Puerta de EuropaSpaniard Festival 2
 
Tabernas são parte intrínseca da vida em Madrid. Os madrilenõs costumam aliviar o stress do dia-a-dia e afogar as mágoas (por vezes com demasiado entusiasmo) nestas instituições centenárias de aperitivos, comida rápida e birita – la caña (copo de cerveja), el chato (taça de vinho) ou el vermut – sempre acompanhado das mais que sagradas tapas, ainda que seja uma mais simplezinha (para durangos), como azeitonas e anchovas em um palito ou um pãozinho com molho de tomate fresco. Aparentemente as tapas surgiram da necessidade de assepsia. Nos tempos das tabernas primitivas as moscas também eram afficionadas pelo vinho e para evitar a concorrência ao precioso líquido, os donos tapavam o copo de vinho com um pedaço de pão. Depois de um tempo colocavam um presuntinho ou uma linguiçinha em cima do pão como um mimo para o freguês. Daí para todo mundo pedir vinho tapado foi um pulo. Apesar do cosmopolitismo de de toda modernidade de Madrid, ainda sobrevivem cerca 100 tabernas com mais de um século de antiguidade.
 
aaaaaaaaa
Spanish Food - Tapas - Chorizo, Jamon & CiaSpanish Food - Tapas - Manchego Cheese & CiaSpanish Food - Tapas - Tortilla a la Espanola
 
Uma das tabernas mais antigas e prestigiadas da cidade é a Fatigas del Querer, inaugurada nos anos 20. O restaurante tem uma decoração esplêndida de mosaicos de azulejo artesanais da região de Andaluzia. Além do clima de dois séculos passados, ajuda a sedução do freguês o aperitivo de cortesia: linguiçinhas cobertas de um molho apimentado. Madre Dios! Dá para comer só isso sem parar. Outro aperitivo que experimentei foram as tortillas de camarão, uma espécie de batata chip gigante feita com massinha de acarajé. Os pratos principais, no entanto, não são lá muito bem servidos. Pedi duas especialidades típicas de tabernas: huevos rotos con jamon serrano (ovos fritos "picados" com presunto serrano e batatas fatiadas) e Tira de Ternera Asada a la Parilla (vitela grelhada). Deliciosos, mas ficaram com gosto de pouco…
 
Taberna Fatigas del Querer 1Taberna Fatigas del Querer - Interior 1Taberna Fatigas del Querer - Interior 4
Taberna Fatigas del Querer - ChorizoTaberna Fatigas del Querer - Tortilla de Camarones
aaaTaberna Fatigas del Querer - Tira de Ternera Asada a la Parilla

 
Como o meu local de trabalho (uma feira internacional de petróleo) proporcionou dois shows privados de Flamenco para os expositores, posso comentar um pouco mais sobre esse gênero espanhol de música e dança, além daqueles que realizei no artigo sobre Barcelona. O Flamenco se originou em Andalucia no século XVIII, entre ciganos (segundo alguns madrileños malidicentes essa foi a única contribuição positiva dessa população de indolentes, que permanece até hoje um fardo para a sociedade espanhola…). A banda que fica no fundo do palco se compõe de guitarristas (estilo Gipsy Kings, chamados "cantadores"), percurssionistas e o cantor. Todo show de Flamenco conta com bailarinas em trajes tipicos dançando ao som da banda e palmas dos que não estão bailando, solos masculinos e femininos, solos de castanholas e um número final com os bailarinos dos dois sexos dançando juntos. Como atração túristica serve muito bem, mas lá pela metade do show você já fica meio de saco cheio. Talvez porque seja muito dificil entender o que se canta durante a apresentação.
 
Flamenco Show 11Flamenco Show 16Flamenco Show 2Flamenco Show 21Flamenco Show 24Flamenco Show 28Flamenco Show 5
 
Alem do Museo del Prado (veja minha resenha aqui), existem dois outros museus de arte que merecem obrigatoriamente uma visita. O primeiro é o Museo Thyssen-Bornemisza, inaugurado em 1992 e que contem a coleção particular de uma familia de mesmo nome. Todo o acervo fica no Palácio de Villahermosa, construído no seculo XVIII e ele mesmo uma atração. Como não é um museu temático tem de tudo um pouco, desde obras góticas, passando por pinturas medievais italianas, até terminar com peças contemporâneas, em uma seqüência cronólogica. Entre as minhas obras favoritas estão: "La Anunciacion", de El Greco; "Santa Catalina", de Caravaggio; "Díptico de la Anunciación" (1441), do pintor holandês Jan Van Eyck; "Virgen con el Niño", de Rogier van der Weyden; "Hotel Room", de Edward Hopper (1931), um autêntico retrato da solidão; "Venus y Cupido", do pintor flamengo Rubens (1629) – o ideal de beleza daquele tempo era… chubby!; "La Virgen del Arbol Seco", de outro pintor holandes Petrus Christus (1450);
 
Museo Thyssen-BornemiszaEL GRECO - La AnunciacionCARAVAGGIO - Santa CatalinaEYCK, JAN VAN - Diptico de la Anunciacion, 1441
VAN DER WEYDEN - Virgen con el NinoHOPPER, EDWARD - Hotel Room, 1931RUBENS - Venus y Cupido, 1629CHRISTUS, PETRUS - La Virgen del Arbol Seco, 1450
 
Outros destaques vão para: "Esaú Vendendo sua Primogenitura", de Brugghen (1627) a partir da clássica passagem do Velho Testamento; "Bailarina Basculando" (1879) do mestre Degas; e "Saint Rosalina of Palermo", pintura barroca de Murillo (1670). Meu predileto disparado foi o quadro "O Rapto de Europa", de Simon Vouet. Como ja foi dito nesse blog, o deus grego Zeus – o garanhão do Olimpo – gostava de se disfarçar para conquistar beldades terrenas. Europa foi seduzida por Zeus disfarçado de touro. A pintura marca o momento em que Europa, iludida pela mansidão do animal, se aventurou a cavalgá-lo. Jupiter entrou no mar e a levou-a nado para Creta para, bem, tirar a sua virtude.
 
BRUGGHEN - Esau Vendendo sua Primogenitura, 1627DEGAS, Bailarina Basculando, 1879MURILLO - Saint Rosalina of Palermo, 1670VOUET, SIMON - O rapto de Europa
 
O outro museu de arte imperdível e um dos mais famosos do mundo é o Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía, um templo da arte moderna de 84 mil metros quadrados. Foi inaugurado em 1992 pela Rainha Sofia, dentro de um antigo hospital da cidade, construído no século XVIII (também uma atração à parte). Como você já sabe, não sou fã de arte moderna, mas as coleções de Salvador Dali e Pablo Picasso são notáveis. As obras que destaco, de acordo com a minha preferência pessoal são: "Accidente", de Alfonso Ponce de Leon (1936), um trabalho quase que premonitório da morte do autor no mesmo ano, vitima de um assassinato; "Muchacha en la ventana", de Salvador Dali (1925) – gostei tanto desse que tenho uma reprodução no meu estúdio; "El Grande Masturbador", também de Dali (1929); "Adan y Eva", de Rosario de Velasco (1932); "La Española", de Francis Picabia; "Niño", de Nicolas Mueller (1937) – não parece uma pintura, mas é; e "Mujeres", de Luis Quintanilla (1933).
 
Museo de Arte Reina Sofia - Miro's SculptureMuseo de Arte Reina Sofia 2Museo de Arte Reina Sofia 6Museo de Arte Reina Sofia 7
aaaaaatempaaa
aaaaaaaaaaaa

 
Não dá para vir à Madrid e não admirar pessoalmente a obra mais importante desse museu e uma das mais celebradas em todo o planeta: Guernica, de Pablo Picasso. A pintura parece à primeira vista para olhos leigos uma uma grande confusão de desenhos feitos por alguma criança em idade pré-escolar. Aos poucos, à medida que você aprecia os detalhes desse imenso quadro (quase 8 x 3 metros), uma sensação de deslumbramento ocorre: uma obra de arte em preto e branco feita em apenas 2 meses, que descreve os horrores da guerra. Se você faltou às aulas da oitava série, Guernika-Lumo era a capital cultural do País Basco que foi bombardeada duramente durante a Guerra Civil Espanhola, em 27 de Abril de 1937. O general Franco pediu ajuda aos nazistas para aterrorizar a população civil basca e desmoralizar o movimento "rebelde", e os alemães enviaram sua temível força aérea. Inocentes de todas as idades morreram às centenas, vítimas de bombas de meia tonelada lançadas de aviões, que também metralhavam pessoas no solo. Reflexão, tristeza, revolta, incredulidade, tudo isso é que você sente diante do quadro. A imagem da dor de uma mulher com o filho morto em seus braços, sem pupilas, é de causar pesadelos por muitas noites. Existem uma história que, em 1940, com Paris ocupada pelos nazistas, um oficial alemão diante de uma foto da reprodução de Guernica perguntou a Picasso (que vivia na cidade francesa nessa época): "Foi você que fez isso?". Picasso respondeu: "Não, foram vocês". Guernica ficou em uma galeria em Nova Iorque até 1981, quando então a democracia foi restaurada na Espanha e o quadro foi transferido para o Museo del Prado, refletindo a vontade de Picasso.
 
aaaPICASSO, PABLO - Guernica, 1937
 
O Real Jardin Botanico, bem em frente ao Museo del Prado, foi inaugurado em 1755 pelo Rei Fernando VI e cobra uma entrada de dois Euros. A melhor época para visitá-lo é o Outono, segundo os locais. Eu visitei o jardim durante um periodo de reformas e confesso que fiquei decepcionado: a qualidade e a manutenção não são muito boas, para uma cidade como Madrid. Creio que seja o reflexo do abandono de quase de quase 4 décadas que sofreu (foi reinaugurado somente em 2005). A melhor parte é o setor de Bonsais, com espécimes fascinantes.
 
Real Jardin Botanico 1Real Jardin Botanico - Bonsais 0Real Jardin Botanico - Bonsais 13
Real Jardin Botanico - Bonsais 1Real Jardin Botanico - Bonsais 16Real Jardin Botanico 0
Real Jardin Botanico 11Real Jardin Botanico 24Real Jardin Botanico 31
 
Outra atração turística bem proxima do Museo del Prado é a Iglesia de San Jeronimo el Real, construída no século XVI por Isabel I. O claustro, muito danificado pelo exército napoleônico em 1808 (Guerra da Independência Espanhola). Por que? Porque o "genio"do Rei Fernando VII havia convertido um local sagrado em um quartel de artilharia "disfarçado" de um… local sagrado! Vá entender…  Depois de décadas de abandono está sendo reformado e brevemente se tornará um anexo do museu.
 
Iglesia de San Jeronimo el Real 0Iglesia de San Jeronimo el Real 2aaaIglesia de San Jeronimo el Real - Interior 2
 
Um mini-museu de arte, de entrada gratuita, que existe próximo da igreja é o Cason del Buen Retiro, na verdade um anexo (em outro prédio) do Museo del Prado com um acervo dedicado em sua maior parte ao pintor italiano Luca Giordano. Trata-se do único edifício conservado do complexo que era o Palácio do Buen Retiro, destruído pelas forças napoleônicas no início do século XVIII. Em 1637, a sua abóbada principal (teto) foi pintado por Giordano e o resultado é espetacular: Se você não tiver cuidado ficará com torcicolo de tanto olhar para essa maravilha. Alíás todas as obras desse artista, sem exceção, são de babar. Ele retratou várias passagens clássicas do antigo testamento. Tente adivinhar quais são nos afrescos abaixo.
 
Museo del Prado - Cason del Buen Retiro 3Museo del Prado - Cason del Buen Retiro  - Interior 0Museo del Prado - Cason del Buen Retiro  - Interior 3
Museo del Prado - Cason del Buen Retiro  - Interior 2Museo del Prado - Cason del Buen Retiro  - Interior 4
aaaMuseo del Prado - Cason del Buen Retiro  - Interior 9Museo del Prado - Cason del Buen Retiro  - Interior 6Museo del Prado - Cason del Buen Retiro  - Interior 7
 
Na frente do mini-museu encontra-se aquele que é o maior (118 hectares) e mais popular parque público de Madrid, o Parque del Retiro. O parque já foi o antigo terreno que hospedou o palácio de Felipe IV – o Real Sitio del Buen Retiro – e seus jardins eram o playground particular da família real. Hoje é um destino típico para piqueniques, passeios românticos, ver gente, ler, meditar, repousar, andar de pedalinho, patinar ou simplesmente coçar. O Monumento de Alfonso XII, construído em 1901, é um dos cartões postais da cidade. Destaque também para a famosa estátua construida em 1885, "El Ángel Caído", localizada na fonte de mesmo nome. Trata-se de uma fantástica retratação de uma das passagens mais poderosas da obra em versos Paraiso Perdido, escrita por Milton. A queda de Lúcifer – previamente um dos anjos preferidos do Senhor – punido indizivelmente após desafiar o Ser Supremo. Lembra-se da frase "Melhor reinar no Inferno do que servir no Paraíso"? Sujeito insolente…
 
Parque del Retiro 4bParque del Retiro 1Parque del Retiro 17
Parque del Retiro 25Parque del Retiro 27Parque del Retiro 28
Parque del Retiro 2aParque del Retiro 5Parque del Retiro 9Parque del Retiro 30
 
Por falar em cartões postais, bem próximo ao Retiro encontra-se um dos mais fotografados monumentos da Espanha: La Puerta de Alcalá na Plaza de la Independência. Durante a época de natal os Madrileños colocam um grande presépio embaixo do portal. Esse monumento neoclássico de granito foi construído por Francesco Sabatini, por ordem de Carlos III em 1769, especialmente para dar boas vindas à sua esposa, Margarita de Austria, que se mudava para Madrid. Romântico ou Exibicionista?
 
aaaPuerta de Alcala 0Puerta de Alcala 3b

 
Depois de andar como um louco, nada melhor que acabar um dia jantando em uma das tabernas mas antigas de Madrid (1800), Las Cuevas de Luis Candelas, proxima do Arco de Cuchilleros, junto à Plaza Mayor. A especialidade da casa são cordeiros e leitões assados, regados a um excelente vinho. Como eu não bebo e estava a fim de experimentar algo diferente, fui de judias verdes salteadas (vagem com molho de bacon) como entrada, depois solomillo da casa (filé mignon com molho de cogumelos) como prato principal e, finalmente, uma tarta helada al whisky (uma torta-creme gelada com molho de uisque). Totalmente excelente refeição, somada ao climão de comer em um lugar tão antigo. Pequena que seja tão caro: 35 Euros nessa brincadeira, por tão pouquinha comida…
 
Restaurante Las Cuevas 3Restaurante Las Cuevas - Interior 1Restaurante Las Cuevas - Interior 11Restaurante Las Cuevas - Interior 12Restaurante Las Cuevas - Interior 3Restaurante Las Cuevas - Judias Verdes SalteadasRestaurante Las Cuevas - Solomillo CandelasRestaurante Las Cuevas - Tarta Helada
 
Outra grande taberna para jantar e, segundo locais, servindo o melhor leitãozinho assado de Madrid, é o restaurante El Sobrino del Botin, praticamente em frente à Las Cuevas. O porquinho, servido inteiro ou despedaçado (um por pessoa) é de converter qualquer vegetariano: suculento, tenro, tostadinho por fora e desmanchando por dentro… O serviço é cortês, impecável e rápido (anormal para padrões espanhóis). Inaugurado em 1725 (inicialmente como pousada) por Jean Botin e sua esposa, figura no Guinness Book como o mais antigo restaurante do mundo.
 
aaaRestaurante Sobrino de Fotin 1
Restaurante Sobrino de Fotin 3Restaurante Sobrino de Fotin 4Restaurante Sobrino de Fotin 7
Restaurante Sobrino de Fotin 8Restaurante Sobrino de Fotin 8aRestaurante Sobrino de Fotin 9
 
Para terminar, falemos de algumas delícias da cozinha espanhola. Churros con Chocolate Caliente, é uma pedida tradicional (desde o século XIX) no café da manhã (tipicamente em churrerías) e, de tão popular, acabou sendo uma tradição também na Argentina, Venezuela, Chile e México. A diferença para o nosso no Brasil é que não há recheio de doce de leite. A Fabada é um grande e "pesado" cozidão com fabas (um tipo de feijão branco gigante), bacon e linguiça. Considerada como uma das principais representates da cozinha típica do país, tem origens que remontam ao século XVIII. Muito popular entre os locais, é raro um mercadinho que não tenha uma lata em conserva desse prato.  Um prato típico madrileño é a Gallinejas, uma mistureba de pedaços entranhas de cordeiro – intestinos, baços e pâncreas – fritas em sua própia gordura. Adoradores de dobradinha, uni-vos! Outro clássico da cozinha espanhola e amplamente oferecido em restaurantes metidos à besta de todo o mundo, o Gazpacho tem origem no Império Romano. Para os que não conhecem, trata-se de uma sopa fria de tomate com alho, pão desmanchado, azeite de oliva, vinagre e sal. Para quem não tem bronca de iced coffee como eu, trata-se de um prato cheio. 
 
Spanish Food - Churros con Chocolate CalienteSpanish Food - FabadaSpanish Food - Gallinejas
Spanish Food - GazpachoSpanish Food - Pimientos RellenosSpanish Food - Centollo Cocido 
 
Veja aqui todas as fotos (quase 400) em alta resolução da cidade de Madrid:
Advertisements
This entry was posted in Europa. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s