Março de 2008 – Curitiba, PR – Parte 1/2

 
Um dos padrões que aprendi a reconhecer aqui nos Estados Unidos, desde que imigrei para cá, refere-se a quantidade de reclamações de brasileiros vivendo aqui contra a vida na América e americanos em si. Invariavelmente, quanto mais ao norte do Brasil vivia o figura ou a dondoca, maior a quantidade de críticas: americano é fechado, frio, calculista, sem "jogo de cintura", muito "certinho", não sabe curtir a vida, antipático, distante, não sabe perdoar pequenos pecados, babaca, não sociáveis, "caxias", puritanos, blah, blah, blah… Meu ponto é que um carioca, um nordestino, tem maiores problemas de adaptação cultural à vida na América do que um… curitibano. Sim, muitos dos adjetivos acima também servem como uma luva para os Curitibanos. Mas… é tão ruim assim como parece?
 
Se um dia você quiser viver aqui nos EUA de verdade, abraçar essa cultura, então um "estágio" em Curitiba é obrigatório. Curitiba é considerada uma das melhores cidades do Brasil (se não a melhor) em termos de qualidade de vida, educação e saúde. Um lugar excepcional para criar filhos e fazer negócios. Curitiba é limpa, organizada, "green", segura e por décadas muito bem administrada. Imigrantes europeus (poloneses, ucranianos, italianos, alemães e japoneses), vieram para o Brasil para trabalhar e ajudaram a tornar Curitiba (assim como boa parte das cidades do Sul do país) uma cidade exemplar. A mescla dos descendentes desses imigrantes, com gente boa do interior do Paraná, Santa Catarina e, tá bom, tá bom, alguns gatos pingados do norte do país, ajudaram a definir as características marcantes do povo curitibano: ordeiro, disciplinado, politizado, educado (formalmente), honesto, franco, ecologicamente consciente e, sobretudo, trabalhador. Big OMG! Então todas as outras cidades do norte do país são uma merda, Paulo? Não, em absoluto. Todas tem o seu encanto. Mas, comparativamente, têm que "comer muita farinha" para chegar aos pés das cidades do sul do país, especialmente Curitiba.
 
City Landscape 12City Landscape 2City Landscape 24
 
Claro, Curitiba não é perfeita. Impossível, abrigando mais de 1 milhão e 800 mil habitantes e existindo no Brasil, um país que está "em desenvolvimento" desde que eu estudava "Moral e Cívica" na 4a série. Por exemplo, tive notícias recentes de que a criminalidade está crescendo na cidade a um ritmo alarmante. Contudo, viver em Curitiba ainda é o que mais se aproxima no Brasil de viver em uma cidade americana, em minha opinião. Se você: não gosta de regras e normas; não acredita que uma amizade verdadeira deva levar anos para se tornar sólida; detesta organização e imagina que limpeza e asseio públicos tenham limite; crê que confiança e compromisso admitem uma "pisadinha na bola" de vez em quando; considera o "jeitinho brasileiro" uma característica positiva do nosso povo; pensa que honestidade é coisa de otário, num mundo cheio de injustiças; acredita que o ditado "Só o trabalho enobrece o homem" é uma mentira inventada por quem não tinha o que fazer; ou tem 100% de certeza que o conceito de ética admite uma certa flexibilidade moral; então Curitiba não é para você. Tampouco a América.
 
City Landscape 6City Landscape 20 
 
O nome da cidade é de origem indígena. Curitiba em Guarani significa curi’i ty(b) ba, "muito pinhão", uma das delícias locais quando bem preparado, seja cozido ou assado. Detratores da cidade dizem que o suxifo "RITIBA" na verdade significa em Guarani "DO MUNDO", mas que os linguistas nunca decifraram o que o prefixo significa… A árvore produtora do pinhão é a Araucária, o principal símbolo do Estado do Paraná.
 
aaaaaaaaa
 
Sim, Curitiba tem um clima filha-da-puta. Não é piada, às vezes o frio é infernal (para padrões Brasileiros). A altitude de quase 1,000 metros acima do nível do mar dá a cidade características climáticas próprias, gerando um inverno muito mais frio que algumas outras cidades na mesma latitude. Por causa disso, o clima curitibano não é lá muito constante ou previsível, sendo comum enfrentar as quatro estações em um único dia, com temperaturas oscilando entre 7 °C e 30 °C, inclusive com a possibilidade de chuvas, sol, neblina no período de 24 horas. Mas costumava ser muito pior, lá pelos anos 70 (quando inclusive nevou na cidade). Nessa época, a piada local era que "o último verão em Curitiba caiu em um Domingo…" Hoje o clima em média tende a ser mais ameno na maior parte do inverno, além de um verão com alguns dias de muito calor. De qualquer forma para quem vive no norte do país, o inverno de Curitiba é "insuportável". Bando de mariquinhas…
 
aaaaaa
 
O sistema de transporte de Curitiba (http://www.urbs.curitiba.pr.gov.br), formado por uma imensa frota de ônibus (boa parte deles VOLVO bi-articulados – http://www.volvo.com/bus/brazil/pt-br/), já se tornou legendário, um modelo para a nação. Com uma única passagem você pode alcançar qualquer ponto da cidade. A maneira com que as ruas e avenidas foram planejadas contribui definitivamente para o sucesso do sistema. As vias de automóveis são largas, capilares e muito bem mantidas. Existe um anel rodoviário quase completo em torno de Curitiba que praticamente a livra do tráfego pesado de caminhões. Os ônibus circulam em pistas reservadas ou mesmo exclusivas ("canaletas"). Tudo muito conveniente para um futuro sistema metroviário. Existem cinco tipos diferentes de ônibus: os vermelhões, que ligam o centro à periferia e que param em "estações-tubo" ao longo do caminho até grandes "terminais"; os verdes, "interbairros", que evitam malha central, mas que se conectam com alguns terminais; os amarelos, que ligam os bairros aos terminais ou ao centro da cidade; os cinzas, "ligeirinhos", amarelos que não fazem paradas frequentes, somente em terminais e algumas poucas estratégicas estações-tubo na cidade; e alguns ônibus brancos dedicados ao turismo. Uma lenda local conta que uma velhinha entrou dentro de uma estação-tubo no dia da inauguração do sistema e depois de esperar por 5 minutos berrou: "Esse negócio vai sair ou não vai?". A malha rodoviária descrita se conecta às outras cidades da Grande Curitiba, através de terminais cheios de ônibus metropolitanos.
 
Public Transportation - Estacao TuboPublic Transportation 1Public Transportation 2Public Transportation 3Public Transportation 4aPublic Transportation 5 
 
A frota de taxi, composta de aproximadamente 2,300 veículos, atende a cidade convenientemente, sem excessos. A URBS administra essa frota com mão-de-ferro há décadas e novas licenças não são autorizadas há anos. Obter uma licença aqui (sem incluir o preço do veículo) involve um investimento de ao menos R$ 60 mil. Pode parecer um pouco contra a idéia de livre competição, mas o fato é que funciona muito bem. 56% da frota opera com rádios e não há cobrança extra para chamar um rádio-taxi: é como um taxi comum. Rádios aumentam a segurança do passageiro e do motorista. Como existem muitas cooperativas de taxistas, o número de taxis piratas se aproxima do zero. Há uma lenda de que nos anos setenta e oitenta, os taxistas davam surras em quem se atrevesse a trabalhar em taxi ilegal. Ela conta também que os poucos bandidos ("gente de fora", como dizem os Curitibanos) que tentavam assaltar taxistas eram caçados e assassinados pelos próprios taxistas, em operações coordenadas que duravam menos de 24 horas. Tudo isso com uma certa conivência da polícia… Verdade ou mentira, o fato é que o serviço de taxi de Curitiba é o de melhor qualidade que vi na vida, por um preço justo.
 
Taxisaaa
 
Curitiba, sem sombra de dúvida, é a capital verde do país. Muito anos antes de todo esse movimento (fortíssimo agora aqui na América) de "go green" e consciência ecológica, Curitiba já educava seu povo (a começar pelos pequenos) a fazer coisa básicas como separar o lixo. Curitibanos têm em seu DNA o jingle famoso: "lixo que não é lixo, não vai pro lixo: se-pa-re".
 
Trash Collectionaaa
 
Com quase 52 metros quadrados de área verde por habitante (três vezes a recomendação mínima feita pela ONU), a cidade conta com um conjunto invejável de parques (http://www.curitiba-parana.net/parques.htm), bosques, reservas de mata nativa, assim como inúmeros praças, jardins e locais públicos arborizados.
 
O parque mais famoso é o Barigui, um ícone verde, cultural e popular, decididamente o mais frequentado da cidade. Com milhares de visitantes mensais, os 1.4 milhão de metros quadrados abriga: mega eventos e shows ao ar livre promovidos pela iniciativa pública e privada; feijoadas de Sábado com pagode; ciclismo e jogging; voleibol total na grama; chopinho com os amigos na beira do lago; passeios românticos à pé; pique-nique com a família… Tem até um pequeno parque de diversões. O parque também é lar do famoso "jacaré do Barigui" (na verdade são vários), que em Fevereiro de 2007 saboreou um vira-lata de uma só bocada na frente de um montão de gente estupefata. Muitos disseram que o ataque foi "ninja", não deu para o cãozinho. Não, não é lenda urbana. Da próxima vez que você visitar Curitiba, talvez seja uma boa idéia convidar sua sogra para um churrasquinho na beira do lago…

 

aaaaaa
aaaaaa 
 
Outro parque famoso e de uma beleza deslumbrante é o Tanguá, localizado na zona norte da cidade e construído a partir de duas pedreiras abandonadas em 1996. Ocupa 235 mil metros quadrados orientados à diversão e ao descanso sem compromisso. Como em todos os parques de Curitiba, o programa é grátis e a infraestrutura disponibilizada pelo governo, impressionante para padrões brasileiros: banheiros limpos, mini-ancoradouro para passeios de barco, ciclovia, dois imensos estacionamentos, tudo na faixa. O parque também conta com um bar-lanchonete à beira do lago e uma pequena praça de alimentação no ponto mais alto. O visual é de tirar o fôlego onde quer que você pare para observar a paisagem natural.
 
Parque Tangua 1Parque Tangua 11Parque Tangua 26fParque Tangua 28Parque Tangua 31Parque Tangua 46cParque Tangua 46hParque Tangua 5
 
O Parque São Lourenço, outro grande point público e familiar, foi inaugurado em 1972 e dispõe de 204 mil metros quadrados de área verde. Suas características marcantes são o imenso lago com uma pista de corrida e ciclovia à volta, o rebanho de ovelhinhas pastando (e cagando bolinhas pretas) em meio à mata nativa que circunda o parque, uma rampa de asfalto para carrinhos de rolimã, canchas de voleibol de areia, trocentos quiosques públicos para churrascos, um parque infantil, banheiros e agua potável. A fábrica de cola que funcionava no local nos anos sessenta se tornou uma peça de decoração e o Centro de Criatividade de Curitiba, administrado pela prefeitura. O local dispõe de uma biblioteca, um espaço para exposições, auditório e sala de projeção.
 
aaaParque Sao Lourenco 15Parque Sao Lourenco 2Parque Sao Lourenco 24Parque Sao Lourenco 27Parque Sao Lourenco 29 
 
Outra figurinha carimbada em Curitiba, o Bosque do Papa é uma reserva de mata atlântica, contendo mais de 300 araucárias, que hospeda o Memorial da Imigração Polonesa formado por um conjunto de lindas casas e uma capela construídos com troncos de pinheiros encaixados, réplicas das primeiras edificações dos pioneiros poloneses. Um museu à céu aberto, testemunho da vida deste povo que chegou em Curitiba por volta de 1871. Criado em 1980, meses após a visita do Papa João Paulo II (ele mesmo polonês) à cidade, fica próximo ao Centro Cívico da cidade e nos fundos do Museu Oscar Niemeyer. Uma loja de artesanato e uma casa de chá especializada na culinária polonesa completam o circuito. Dentro do parque há também uma uma pipa de azedar repolho, uma carroça antiga e uma imagem da Virgem Negra de Czestochowa, padroeira da Polônia, dentro da capela.O Bosque do Papa oferece ainda uma extensa área gramada, um palco, trilhas para caminhadas ecológicas, parque infantil e uma ciclovia.
 
Parque Joao Paulo II 1Parque Joao Paulo II - Capela 2Parque Joao Paulo II - Memorial Polones 3aaaParque Joao Paulo II 2Parque Joao Paulo II 23Parque Joao Paulo II 8
 
A mais famosa área verde de Curitiba e um dos principais pontos turísticos é o Jardim Botânico. Muito limpo, amplo e bem mantido, o jardim só peca pelo seu acervo de flores e árvores, que ainda está sendo criado. Em alguns anos certamente será fenomenal. Para compensar, a grande estufa de três abóbadas do jardim representa um dos mais reconhecidos cartões postais da cidade. O ponto mais alto – nos dois sentidos – dessa área verde de 245 mil metros quadrados: uma armação metálica tipo art noveau, marca registrada de diversas obras arquitetônicas curitibanas. 
 
Botanic Garden 11Botanic Garden 13Botanic Garden 15Botanic Garden 51Botanic Garden 24Botanic Garden 26Botanic Garden 42
 
A estátua em bronze "Amor Materno", forjada em 1907 pelo artista polonês João Zaco, fornece um toque todo especial ao cenário em frente à estufa. O Jardim Botânico conta ainda com o Museu Botânico, trilhas em bosque de araucárias, um belíssimo lago cheio de carpas, um bosque de mata atlântica preservada, quadras esportivas e um velódromo. Tudo público, "de grátis"…
 
Botanic Garden - Amor MaternoBotanic Garden 46Botanic Garden 5Botanic Garden 7 
 
Outro ponto turístico "green" da cidade é o Memorial Ucraniano, localizado dentro do parque Tingui. Construído em 1985, para celebrar o centenário da chegada dos imigrantes ucranianos à cidade, conta com uma réplica espetacular da igreja de São Miguel Arcanjo, toda em  madeira nobre encaixada ao estilo bizantino. Dentro da igreja existem símbolos religiosos da igreja ortodoxa, artesanato ucraniano e os famosos ovos decorados à mão – pesankas. Há alguns anos eu assisti um casamento ucraniano que foi rezado na língua do casal e em português. Malandro, foi a cerimônia religiosa mais longa da minha vida… Como falam!
 
aaaMemorial Ucraniano - Igreja 6Memorial Ucraniano 1Memorial Ucraniano 17Memorial Ucraniano 5Memorial Ucraniano 13
 
Curitiba possui várias igrejas famosas por sua arquitetura e valor histórico. A Catedral Basílica Menor de estilo neogótico, localizada no centro da cidade, foi finalizada em 1893 pelas mãos do arquiteto francês Alphonse de Plas. Ela é dedicada à padroeira da cidade, Nossa Senhora da Luz dos Pinhais.
 
Catedral Basilica Menor 1Catedral Basilica Menor - Interior 11Catedral Basilica Menor - Interior 12Catedral Basilica Menor - Interior 4 
 
Existem outras três igrejas que valem uma visita. A primeira é a Igreja de Nossa Senhora das Mercês (http://www.ocapuchinho.com.br/), concluída em 1929 por freis capuchinhos. Em um determinado dia do ano eles benzem… automóveis (!?) A segunda é a de São Vicente de Paula, no Alto São Francisco, finalizada em 1932. Nas manhãs de Domingo, se mantém a tradição da missa rezada em polonês. A terceira é a Igreja Luterana ou do Redentor, construída em 1894 e principal templo de evangélicos-luteranos de Curitiba.
 

Igreja Nossa Senhora das Merces 1aIgreja Nossa Senhora das Merces 3Igreja Nossa Senhora das Merces - Interior 14
Igreja de Nossa Senhora das Mercês
Igreja Sao Vicente de Paulo 1Igreja Sao Vicente de Paulo - Interior 1 Igreja Luterana 1
Igreja de São Vicente de Paula                                                                                       Igreja Luterana
 
Na Praça Santos Andrade, centro da cidade, encontram-se dois cartões postais de Curitiba. O prédio da Universidade Federal do Paraná (unidade do curso de Direito), finalizado em 1912, data da inauguração daquela que foi a primeira Universidade do Brasil. E o Teatro Guaíra (http://www.tguaira.pr.gov.br/), palco de shows, peças, óperas, concertos e balés de altíssima qualidade. Reza a lenda que se um espetáculo vingar em Curitiba, onde a platéia é exigente ao extremo, fará sucesso no resto do país. Por isso, algumas turnês começam por aqui. Believe it… or not. O complexo também é um dos pontos selecionados no circuito do nacionalmente famoso Festival de Teatro Anual de Curitiba (http://www.festivaldeteatro.com.br). Ironicamente, toda a idéia de fazer um festival surgiu a partir da conversa de restaurante de dois jovens amigos, Cássio Chamecki e Victor Aronis, de 18 e 22 anos, respectivamente. Eles se perguntaram: "Por que não?"
 
UFPR - Unidade Central 1Teatro Guaira 1aaaTeatro Guaira - Interior 1Teatro Guaira - Interior 2
 
Não dá para visitar Curitiba, sem passear na Rua XV de Novembro. A também chamada Rua das Flores, é um calçadão largo que começa na Praça Santos Andrade e se estende até a Praça Osório, bem no centro da cidade. Por décadas a Rua XV tem sido um dos centros comerciais de Curitiba, que só perdeu seu status mais recentemente, com o surgimento de grandes shopping centers. Mais ainda assim é um excepcional passeio turístico para "ver gente". Além da caminhada em si, os destaques vão para: as massas folhadas da Confeitaria das Famílias (experimente a bomba de creme com cobertura de chocolate), um salão de chá inaugurado em 1945; os cafés e as banquinhas de venda de flores ao longo de toda a rua; o Bondinho, um espaço de lazer para crianças; a Boca Maldita, área histórica do calçadão próxima ao Bondinho e dos cafés mais populares da XV, tribuna livre de idosos machistas que discutem política de pé e que, segundo a lenda, quando novos foram responsáveis pela cassação de um governador do Estado do Paraná nos anos setenta.
 
aaaRua XV de Novembro 8Rua XV de Novembro 3Rua XV de Novembro 5Confeitaria das Familias 2Rua XV de Novembro - Bondinho
 
Bem no final da rua XV encontra-se o Palácio Avenida, um prédio histórico de 1929, que já foi um cinema muito popular e hoje é uma agência bancária do HSBC. O Palácio é palco do maior presente de natal da cidade: o emocionante coral dos Infantes Cantores e da Terceira Idade. O show é diário durante a temporada de festas de final de ano e sempre se completa com um fantástico espetáculo de luzes e cores.Você pode ter aqui uma idéia de quão emocionante é o espetáculo:
 
Palacio Avenidaaaa
               

 
Um dos cartões postais da cidade, a Ópera de Arame foi inaugurada em 1992 para hospedar apresentações artísticas e culturais – desde shows, até formaturas. São 400 metros quadrados que podem receber até 2,400 espectadores. Sua estrutura de metal única faz da obra um marco arquitetônico ímpar no país, mas também um perigo para mulheres que querem usar salto alto e saias… O cenário externo da Ópera de Arame é igualmente exuberante, em meio à uma extinta pedreira incrustada em uma área especialmente linda de mata atlântica nativa, com lago e até uma cascata de 10 metros de altura.
 

Opera de Arame 17Opera de Arame 1cOpera de Arame 25
 
Cartão postal de Curitiba muito recente (2002) e de visita obrigatória para qualquer turista amante de arte moderna, o Museu Oscar Niemeyer (http://www.museuoscarniemeyer.org.br/), ou simplesmente "Museu do Olho", reune o acervo de dois dos mais tradicionais museus (agora extintos) do Estado: Museu de Arte do Paraná (MAP) e o do Banco do Estado do Paraná (do também extinto Banestado). Composto por aproximadamente 2 mil peças, o acervo guarda obras dos paranaenses Andersen, De Bona, Bakun, Guido Viaro e Helena Wong, além de Tarsila do Amaral, Portinari, Niemeyer, Ianelli e Caribé, entre outros. 
 
Museu Oscar Niemeyer 1Museu Oscar Niemeyer 3 

Outro programaço em Curitiba é visitar o mirante da Torre da Telepar, o ponto mais alto da cidade. Com 110 metros de altura e no topo de um dos bairros mais alto (Mercês), ela oferece um grande coroa circular com imensas janelas de vidro que proporcionam um visual em 360 graus da metrópole. Um painel de cimento feito por Poty Lazzarotto ilustra alguns símbolos da cidade, como o tropeiro e a araucária. No sopé da torre, há um mini-museu do telefone que vale a pena visitar, antes da subida ao mirante.

 
Torre da Telepar - Top 1Torre da Telepar - Top 2Torre da Telepar 3 
 
Veja aqui o panorama de Curitiba vista da torre:
 
Outro ponto turístico bastante popular é o Largo da Ordem, no centro histórico de Curitiba. Trata-se de um longo e largo calçadão morro acima. Um lugar muito bom para passaear e tomar uma cerveja com uns amigos no fim da tarde ou à noite em alguns dos barzinhos existentes. Aqui você também pode visitar vários marcos históricos e turísticos da cidade. A Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas (ou simplesmente Igreja da Ordem), construída em 1737, a mais antiga de Curitiba. O polêmico (por seu gosto duvidoso) monumento "Fonte da Memória", do artista curitibano Ricardo Tod, morto em um acidente rodoviário em 2005, um suposto resgate da história dos colonos que levavam seus cavalos para beber água na região. O Solar do Rosário (http://www.solardorosario.com.br/),  uma galeria de arte junto a um complexo cultural hospedados em um casarão histórico construído no século XIX. E o Relógio das Flores, outro cartão postal, na verdade um presente que Curitiba ganhou de joalheiros, em 1972 e que ao longo do ano, floresce com cores vivas e diferentes a cada mudança de estação.
 
Fonte da Memoria 1Igreja do Rosario 1Fonte da Memoria 2Fonte da Memoria 4Solar do Rosario 1Relogio das Flores
 
O mais famoso barzinho do Largo da Ordem é o Bar do Alemão (http://www.bardoalemaocuritiba.com.br/), tradicionalíssimo (25 anos) ponto de encontro. Além do chope impecável o bar oferece um menu delicioso baseado na cozinha alemã, como joelho e bisteca de porco, chucrute, marreco, salsichas de 22 cm, pato recheado e carne de onça. O bolinho de mandioca recheado com queijo é legendário. Uma das bebidas clássicas da casa é o Submarino, um caneco de chope com uma dose de Steinhager (gim alemão). Embaixo do copinho de Steinhager existe a inscrição "Este caneco foi roubado honestamente". Desnecessário dizer o porquê… 
 
aaaaaaaaa 
 
Continua…
Advertisements
This entry was posted in Brasil. Bookmark the permalink.

7 Responses to Março de 2008 – Curitiba, PR – Parte 1/2

  1. Claudia says:

    Amorzao,
    E’ muito legal ler uma descricao tao verdadeira sobre minha cidade. Apesar de ja saber sua opiniao sobre Curitiba, fiquei emocionada com este registro impecavel de como os Curitibanos sao, vivem e "incomodam" os fas do jeitinho brasileiro. Valeu pela foto da minha maezinha…
    To esperando a segunda parte!
    Beijao

  2. Luciano says:

    Ta bom, ta bom, sei que sou totalmente suspeito por escrever aqui…
    1o porque sou Curitibano nascido, criado e se Deus permitir morrido, e meu ‘orgulho’ acaba de ser massageado por completo. (um pouco gay essa frase).
    2o porque sou fã das análises e do ponto de vista do autor desse blog.
    Ja disse antes e repito, quer conhecer bem um lugar? Entao antes de
    visita-lo, visite esse blog e torça para que ja tenha visitado o lugar que queira conhecer.Devo confessar que estava ancioso por esse artigo em particular e minhas espectativas foram muito alem do esperado.
    EXCELENTE. Agora já tenho meu novo artigo favorito.
    Agora fico no aguardo do programa de TV que a N.G. irá produzir em cima desse material.
    Alias, os reporteres de TVs locais deviam dar uma passada nesse blog
    antes de fazerem os mesmos programas repetitivos e sem graça que eles
    costumam fazer da Cidade. Creio que um programa com visão pessoal sobre o lugar é algo muito mais interessante.
    E tem mais, na hora que alunos de colegio daqui de Curitiba descobrirem
    esse artigo será uma avalanche de notas 10 nos trabalhos sobre a cidade
    que nem quero ver. Ah eu com um material desse na minha época! huahua.
    Parabens de novo. Acabou se tornando uma linda homenagem a cidade, muito melhor
    do que muitas outras feitas pelos próprios Curitibanos. Perfeita!Estou divulgando para meus amigos, principalmente aqueles de fora que sempre quiseram conhecer a verdadeira Curitiba!

  3. Pedro says:

    Ratifico 100% o comentário do Luciano (tanto sobre o conteúdo quanto ao autor)… é chover no molhado… mas acrescento que a abertura foi o destaque que sempre soube, mas ninguém COM AUTORIDADE e CONHECIMENTO DE CAUSA tinha escrito tão explícita e verdadeiramente. Por conhecer mais a fundo o funcionamento da cidade, pois trabalho há poucos anos na empresa responsável pela informatização da cidade, cito ainda de forma complementar essa concientização e inclusão digital da cidade. Deixo para o autor detalhar, mas antecipo que no parque Barigui mencionado, já está disponível à população uma rede wireless para acesso à internet 100% free, ou seja, senta no gramado do parque com seu notebook e acesse a rede mundial. Obrigado Paulo em nome da minha cidade.

  4. fabricio says:

    amigo esse foi o melhor artigo de curtiba que eu jah li hehhe mostra absolutamente  a mente e o sistema curitibano hee parabens

  5. Waldir Rueda says:

    OláEstou escrevendo um livro sobre os bondes de Santos, esse bondinho que esta em Curitiba era de Santos. Eu gostaria de usar essa foto no meu livro.Paulo foi você quem tirou a foto?GratoWaldir RuedaProfessor de História

  6. Carlos Guilherme says:

    Olá, sou curitibano, e esse foi o melhor texto que já li sobre minha cidade, foi incrível. Esse ‘continua…’ me deu um gostinho de quero mais!!! Estou no aguardo…

  7. Léia says:

    Olá! Sou paulistana de nascimento mas cresci em Curitiba e amo essa cidade, pra mim é o melhor lugar do mundo pra se viver!E adorei essa reportagem, ficou linda!Parabéns!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s