The Metropolitan Museum of Art – New, York – Março de 2008

 

Minha visita de 8 horas ao museu metropolitano de arte de New York – vulgo MET – foi devida à chuva, que caía sem parar. Oito horas em um único museu? Explico: eu sou um nerd que lê plaquinha por plaquinha (o que me torna a pior companhia possível dentro de qualquer museu) e o lugar era grande para caramba. O MET (http://www.metmuseum.org/) fica coladinho ao famoso Central Park e apresenta desde 1872 uma coleção permanente de mais 2 milhões de obras de arte, de toda parte do mundo. O valor da entrada é quanto você desejar contribuir.

 

MET - The Metropolitan Museum of Art 1MET - Great Hall 1MET - Great Hall 2MET - Great Hall 7

 

O tempo gasto só foi suficiente para cobrir o primeiro piso. A coleção permanente é dividida em várias seções. Trago aqui a descrição de algumas delas. A mais famosa é a coleção de arte Egípcia, composta de mais de 36,000 peças espalhadas em 40 galerias. Para os que dormiram durante as aulas de geografia e história da 7a série, a civilização Egípcia dominou o norte da África, localizada ao longo de toda a extensão das margens do Rio Nilo, de 3,150 BC até um pouco mais depois da morte de Cristo. Eram muito bons em navegação (à remo), arte, arquitetura, medicina (até tirar tumores do cérebro eles sabiam), matemática, mineração, desenvolvimento da escrita (os famosos hieróglifos), literatura, odontologia e agricultura, incluindo o uso de técnicas de irrigação sofisticadas para a época. Esse museu é um ode à arte egípcia, basicamente utilizada para fins políticos (vitórias em batalhas, decretos reais, etc.) e religiosos (normalmente celebrando e descrevendo a vida após morte do cadáver). A vida era bem dura na época. A expectativa de vida era de 35 anos para homens e 30 para mulheres. 1/3 da população morria na infância.

 

MET - Egyptian Art - Mentuhotep III - 2000 BCMET - Egyptian Art 18MET - Egyptian Art - Statue of Yuny - 1290 B.C. a
MET - Egyptian Art 27MET - Egyptian Art 43MET - Egyptian Art 54

O legado do antigo Egito é considerável para a sociedade atual. Mas considero o mais importante a religião. Eles foram de certa forma os "primeiros" a utilizarem o conceito de alma imortal e a democratizar o "céu", um lugar aberto a todos depois da morte, não importa a classe social, onde você poderia encontrar os deuses. Curiosamente, foi no Egito Antigo que surgiu o primeiro conceito de Deus único (monoteísmo), Aton, que representava o Sol. Alguns antigos egípcios mais cheios da grana podiam bancar um embalsamento, uma técnica que permitia "secar" e "salgar" o corpo, aumentando o período de conservação após a morte. Você sabia que o cérebro era retirado com um instrumento semelhante ao fórceps pelas narinas, pedacinho por pedacinho? Uma boa leitura de ficção que respeita bastante a maioria dos fatos hitóricos é o livro "O EGÍPCIO", de Mika Waltari. É um tijolo. Mas vale à pena…

MET - Egyptian Art 52MET - Egyptian Art 26MET - Egyptian Art 48
MET - Egyptian Art 60MET - Egyptian Art - Seated Woman - 3650 BCMET - Egyptian Art - Canopic Jar - 1353 BC
 

 

O Templo de Dendur é a jóia da coroa do museu e um ícone cultural (lembra da cena de pescaria do filme "I am Legend"?). Foi um presente dado pelo governo egípcio aos Estados Unidos em 1965 e reconstruído em sua forma atual em 1978. Belíssimo, muito grande e parcialmente circundado por uma piscina, o templo é iluminado através de janelas imensas que dão para o Central Park. Dendur nada mais é do que um grande monumento funerário, homenageando dois irmãos que morreram afogados no Rio Nilo, na época do domínio romano sobre os egípcios (15 BC).

 

MET - The Temple of Dendur - 15 BC aMET - The Temple of Dendur - 15 BC cMET - The Temple of Dendur - 15 BC k

 

A seção de arte greco-romana é igualmente extensa e fantástica. São mais de 35,000 peças espalhadas em 6,000 m2 datadas desde 312 A.D. até a queda de Constantinopla e o fim deo Ímpério Romano. A arte dos gregos e romanos tiveram grande influência em rigorosamente todas as futuras manifestações artísticas ligadas à escultura, pintura e arquitetura, notoriamente no Renascimento e Idade Moderna.

 

Greek and Roman Art - Diadoumenon, 69 ADGreek and Roman Art - Marble Statue of a Lion - 400 BCGreek and Roman Art 15a
Greek and Roman Art 14Greek and Roman Art - Aphroditer, 1st century ADGreek and Roman Art - Marble Sarcophagus with Lid - 220 AD

Se juntarmos todas as coleções de obras greco-romanas de todos os museus do mundo, ainda assim teremos só um fragmento do maravilhoso trabalho clássico dessa gente extraordinária. A grande maioria das obras foi destruída durante a Idade das Trevas, quando o acervo era considerado "pagão" por gente ignorante. Por exemplo, um sujeito chamado Polygnotus de Thasos era considerado entre seus pares, por volta do século 5 BC, como um "Michelangelo", um "Da Vinci" da época. Suas pinturas doram admiradas até 600 anos depois de sua morte. Mas atualmente só temos histórias e depoimentos, nada mais: nenhuma de suas obras sobreviveu, nem mesmo cópias…

Greek and Roman Art 16aGreek and Roman Art 19Greek and Roman Art 30Greek and Roman Art 1

A seção de arte Bizantina é bem mais modesta que a Egípcia e a Greco-Romana, mas igualmente fascinante. Em 330 o Império Romano foi pela primeira vez governado por um Cristão: Constantino o Grande. Bizâncio estruturou as raízes da Igreja Católica, a mais poderosa senhora feudal da Europa. A arte bizantina floresceu nos últimos anos da dominação romana na Europa, antes da queda de Constantinopla nas mãos dos Turcos em 1453. A arte dessa época era mais sofisticada – porque os romanos desse período eram mais formalmente educados que seus predecessores – e um tanto esquizofrência: uma mistura de arte greco-romana clássica pagã com temas cristãos ligados ao Novo Testamento. A elite bizantina apreciava e investia bastante em arte: criação e contemplação. A classe artística nunca havia sido tão valorizada.

MET - Byzantine Art - Ktisis - 550MET - Byzantine Art - Marble bust of a lady at rank - 400MET - Byzantine Art 3

 

Minha seção favorita do MET foi a de arte medieval, totalmente orientada à religião cristã. Todas as peças lindas e comoventes, com tanta vida e luz que só mesmo um fervoroso devoto poderia criar. A maioria traz passagens da vida de Cristo e, o modelo campeão, Nossa Senhora e o Menino. Esse tipo de arte (basicamente esculturas, printuras e mosaicos) cobriu um tempo e espaço enorme: mais de mil anos de história da arte na Europa, oriente Médio e África, mais ou menos entre a queda do Império Romano e o Renascimento. Como peças tão bonitas podem ter surgido durante um dos períodos mais negros da história da humanidade?

 

Medieval Art 10Medieval Art 13Medieval Art 28
Medieval Art 39Medieval Art 41Medieval Art 34

 

A seção Arms and Armors é uma das mais reconhecidas do MET. Nela encontramos peças medievais, japonesas, tibetanas, chinesas, indianas, América colonial e outras, sempre com o foco na decoração da peça em si, não em seu aspecto utilitário. Muitas das armas aqui expostas jamais foram usadas em batalha. Interessante como as armaduras mais caras e cheias de balacobaco eram para baixinhos. Compensação? Só Freud explica…

 

Arms and Armors - Armor for field and tournment - Italian, 1575Arms and Armors - KatanaArms and Armors 39
Arms and Armors - Western European Fencing Doublet, 1580Arms and Armors 16Arms and Armors 40
Arms and Armors 41Arms and Armors 24Arms and Armors Italian Sallet, 1460Arms and Armors - Scottish Flintlock Pistols, 1790
 

 

Veja aqui todas as fotos (quase 400) em alta resolução de minha visita ao museu:
Para visualizá-las (slide show) é necessário um cadastro no yahoo.com ou yahoo.com.br, ou direto no flickr.com
Não esqueça de incluir a legenda (options, abaixo à direita – marque always show titles) durante a exibição dos slides. Todas as fotos podem ser baixadas/downloaded em altíssima resolução.

 

É isso. 

Advertisements
This entry was posted in Estados Unidos. Bookmark the permalink.

2 Responses to The Metropolitan Museum of Art – New, York – Março de 2008

  1. Fernanda says:

    Muito bacana.Eu não iria lá na parte dos egípcios não… não tenho grande afinidade com gente morta.Beijão

  2. Regina says:

    Olá! Gostei das informações.Tudo que tem relação ao Egito ,me interessa! Viagei em junho de 2008 para lá conheci várias cidades,monumentos,Museu do Cairo,fiz cruzeiro pelo Nilo,enfim conheci tudo que um visitante tem direito,além de fazer até Worshop de dança do ventre!!! Abraços

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s