Cidade do Mexico, Mexico – Janeiro de 2008

 
A cidade do México é uma das 4 cidades mais populosas do mundo e também uma das mais poluídas. Lembra bastante São Paulo, só que com ruas mais limpas e um bom equilíbrio entre construções coloniais e pré-hispanicas, com as modernas. A poluição atmosférica é tipicamente infernal, basicamente devido à altitude da cidade – 4,000 metros acima do nível do mar, o fato de ser rodeada de montanhas – o que dificulta a circulação do ar – e à emissão de poluentes por mais de 50,000 indústrias e 4 milhões de veículos. Sorte minha que não peguei um clima muito ruim e os dias que gastei por lá estavam perfeitos. 
 
Ciudad de MexicoCiudad de Mexico 8Ciudad de Mexico 2Banco de Mexico 1Bolsa Mexicana de ValoresPalacio de Bellas Artes 1
 
A cidade possui o maior sistema (207 Km) de metrô da América Latina e um sistema de transporte público mais ou menos organizado. O trânsito é tão absurdo quanto o de São Paulo, mais pela quantidade de veículos do que por ser uma zona. Impressiona também o grande número de taxis e peruas (privadas)circulando na rua.
 
Miscelanneous 11Miscelanneous 2Miscelanneous 3Miscelanneous 4
 
O nome da cidade vem da época de sua fundação, no século XIV, pelo povo mexica (Astecas). No centro histórico você pode encontrar diversas construções colonais espanholas, predominantemente do século XIX. Dos tempos da gloriosa Tenochtitlán, centro do império Asteca, não restou praticamente nada, graças às atividades belicosas de Hernan Cortez, o "conquistador" que arrasou a cidade em agosto de 1521. Sobre esse açougueiro ignorante que alguns insistem em tratar como herói, falarei mais detalhadamente em outro post.
 
Hernan CortezTenochtitlanConquista Espanhola
 
A economia mexicana está baseada em três grandes fontes de receita: petróleo, controlada pela 100% estatal-toda-poderosa PEMEX; turismo; e os dólares que os mexicanos que imigraram ilegalmente para os EUA enviam para seus parentes. A primeira fonte está seriamente ameaçada, já que em alguns anos as fontes de petróleo conhecidas em águas rasas (shallow waters) vão se exaurir e a PEMEX não possui tecnologia e gente qualificada para descobrir e explorar águas profundas (como os brasileiros e os nórdicos). Para piorar, a constituição impede o trabalho em parceria ou terceirização com qualquer empresa extrangeira no que se refere ao petróleo. A terceira fonte segue mais ameaçada do que nunca, com o debate do povo americano sobre a questão da imigração atual e o crescente desaquecimento da economia americana que, em minha opinião, vai fazer os empregos ocupados por mexicanos passarem a ser disputados por afro-americanos.
 
Ciudad de Mexico 4Ciudad de Mexico 6Ciudad de Mexico 7
 
É díficil fazer um estereótipo de quase 9 milhões de habitantes em um parágrafo, mas trabalhei com alguns mexicanos por quase 2 anos e posso arriscar. Primeiro: nunca vi tanta gente baixinha em toda a minha vida! Mesmos os mexicanos que vivem aqui nos EUA são miúdos ou, para ser politicamente correto, salva-vidas de aquário, pintores de rodapé com escada, alpinistas de meio-fio, centro-avantes de futebol de botão, seguranças de festa infantil, jóquei de pônei, ascensorista de formigueiro ou pilotos de prova de carrinhos de autorama. Agora sério, o mexicano é boa gente, educado, gentil e sempre disposto a ajudar. O único problema é que são leeeentos e fazem tudo ao seu tempo, mesmo quando estão sendo pagos para trabalhar mais rápido. Para que vocês tenham uma idéia, o almoço no México começa ao meio-dia e termina as quatro da tarde… Pra que pressa? A corrupção é enorme e os negócios são mais baseados em relações pessoais do que em meritocracia e fair play. Estranho é que os mexicanos que vivem nos EUA são as criaturas mais trabalhadoras (incansáveis, ordeiros e low-profile) e eficientes que vi na vida. Paradoxal, não? Como no Brasil, ve-se nas ruas claramente a diferença de classes, onde alguns têm muito (um dos cinco homens mais ricos do mundo vive aqui) e outros vivem uma vida miserável.
 
Mexicanos 2Mexicanos 3Mexicanos 4Mexicanos 5Mexicanos 7Mexicanos 9 
 
A comida mexicana, um pouco diferente daquela servida nos restaurantes "mexicanos" aqui dos Texas, é muito saborosa e rica em subprodutos do milho. Dizem que comer na rua não é seguro, mas não dá para vivenciar um pouco da cultura local sem experimentar um pouco da comida popular. Como estou de saco cheio de comida Texmex de restaurantes daqui de Houston (prometo falar dela em um tópico específico do meu próximo blog), experimentei um montão de comida de rua na cidade do México. Hmmm yummy…
 
Mexicanos 8Miscelanneous 10Miscelanneous 5Miscelanneous 7Miscelanneous 9
 
A melhor maneira de explorar a cidade do México é à pé. Eu comecei meus passeios pela grande praça arborizada, cheia de Álamos, próximo ao centro velho da cidade conhecida como "La Alameda". Ao redor da praça encontram-se prédios famosos e antigos, como o Hotel Cortes (1780), o Edifício de Correos (Palacio Postal, de 1907), o Edifício do Banco do México (1906), o Edificio Guardiola (1937), a Casa dos Azulejos (1737) e a Torre Latinoamericana (1956).
 
Hotel de CortesPalacio Postal 9Banco de Mexico 1Edificio GuardiolaCasa de los AzulejosTorre Latinoamericana 2

 
A construção mais impressionante da Alameda é o Palacio de Bellas Artes (http://www.bellasartes.gob.mx). Edificado em 1904 sobre um terreno pantanoso, infelizmente todo o complexo afunda sistematicamente ano após ano. O Palacio hospeda o Museo Nacional de Arquitectura e abriga espetáculos de música, dança e teatro, além de exposições de arte e atividades literárias, tais como o ballet folclórico do México, a companhia nacional de dança, a orquestra sinfonica nacional e a companhia nacional de ópera. Interessante notar as diferenças entre um pais latino e os EUA: somente em Houston existe, para cada tipo de arte, vários prédios nababescos. Na América Latina é geralmente um para todas as formas de arte e olhe lá…
 
Palacio de Belas Artes 2Palacio de Bellas Artes - Statue 4Palacio de Bellas Artes 7Palacio de Bellas Artes - Statue 2Palacio de Bellas ArtesPalacio de Belas Artes  
 
A Alameda é uma praça muito bonita e frequentada por gente de todo tipo. A praça fica de frente para a Iglesia del convento de Corpus Christi, o primeiro convento de monjas do país a aceitar índias nobres e filhas de caciques. Na praça também se encontram dois importantes monumentos: um hemiciclo criado por um escultor italiano em homenagem à Benito Juarez, ex-presidente mexicano, considerado por muitos o melhor que o país já teve; e uma estátua de Beethoven, presente da colônia alemã em 1921.
La Alameda 2La Alameda 5La Alameda 9Iglesia del Convento de Corpus ChristiHemiciclo a JuarezHemiciclo a Juarez 2La Alameda - Monumento a Beethoven
 
Outras igrejas importantes que se encontram próximas da região da Alameda são: a Iglesia de la Santa Veracruz, inaugurada por Hernan Cortez em 1526; a Iglesia de San Juan de Dios, concluída em 1729, aonde as mexicanas veneram a San Antonio de Padua, ultimo recurso para encontrar marido; a Iglesia de San Hipolito, erguida em 1521, para comemorar a queda de Tenochtitlán pelos conquistadores espanhóis; e a Iglesia y Panteon de San Fernando, construída em 1730.
 
Iglesia de la Santa Veracruz 2Iglesia de la Santa Veracruz 6Iglesia de la Santa VeracruzIglesia de la Santa Juan de Dios 1Iglesia de la Santa Juan de Dios 3Iglesia de la Santa Juan de Dios 3aIglesia de San Hipolito 5Iglesia de San HipolitoIglesia de San Hipolito - InteriorIglesia y Panteon de San Fernando - Interior 2Iglesia y Panteon de San Fernando 1Iglesia y Panteon de San Fernando - Interior 3
 
Outra zona que explorei à pé foi a do Paseo de La Reforma. Considerada a mais importante da cidade, essa avenida é uma longa e ampla alameda que cruza o centro de negócios do México. O Paseo em si possui muitas árvores, 36 estátuas de heróis nacionais simetricamente distribuídas e bancos com diferentes designs (cada um mais estranho que o outro – arte moderna…) de ambos os lados.  A inspiração dessa vía foram os famosos campos elíseos de Paris.
 
Paseo de La Reforma 14Paseo de La Reforma 10Paseo de La Reforma 17Paseo de La Reforma 18Paseo de La Reforma 20Paseo de La Reforma 3Paseo de La Reforma - Dialogo de Bancas 1Paseo de La Reforma - Dialogo de Bancas 13Paseo de La Reforma - Dialogo de Bancas 5
 
No início do Paseo de la Reforma existe uma enorme (20 m de altura) escultura chamada "El Cabalito", construída em 1992 e que supostamente é uma estátua equestre. Outro destaque vai para a estátua da Fuente Cocrodilo (sim, é assim mesmo que se escreve em espanhol…), de 2006.
 

El CaballitoPaseo de La Reforma - Cocodrilo 1Paseo de La Reforma - Cocodrilo
 
A algumas quadras do Paseo, repousam vários monumentos importantes e de grande valor sentimental para os mexicanos: o Monumento a la Revolucion, construído em 1938 e que serve também de túmulo para alguns expoentes da revolução que libertou os mexicanos do jugo espanhol; o Monumento a la Madre, construído nos anos 50 e que tem em seu pedestal as sensíveis palavras: "A la que nos amó antes de conocernos – porque su maternidad fue voluntaria"; e o Monumento a Louis Pasteur, presente da colônia francesa para o povo mexicano.
 
Plaza de la RepublicaPlaza de la Republica 1Plaza de la Republica 3Monumento a la MadreMonumento a la Madre 2Monumento a Louis Pasteur
 
Ao longo do Paseo de la Reforma existem quatro grandes monumentos, dois deles cartões postais da cidade do Mexico. O primeiro deles é o de Cristobal Colón, nosso descobridor favorito, mas no dia que visitei a cidade o monumento estava "fechado para reformas". O segundo é o Monumento a Cuauhtémoc que heroicamente defendeu a cidade de Tenochtitlán contra os carniceiros de Cortez e seus aliados. Após ser derrotado e capturado, o último senhor dos astecas morreu enforcado publicamente na cidade de Tabasco.
 
Monumento a Cuauhtemoc 2Monumento a Cuauhtemoc 3Monumento a Cuauhtemoc
 
O terceiro monumento é a Columna  de la Independencia, de 36 metros de altura e com um lindo anjo dourado em seu topo que representa a Vitória Alada, o símbolo da cidade.  Inaugurada em 1910, possui uma base quadrangular com as representações da Lei, Paz, Justiça e Guerra, além de alguns heróis da independência que repousam no mausoléo que é a sua base. O monumento original foi quase totalmente destruído no grande terremoto de 1957 e teve que ser reconstruído.
 
Columna de la Independencia - GuerraColumna de la Independencia - Justicia 1bColumna de la Independencia - Justicia 1aColumna de la Independencia - PazColumna de la Independencia 1Columna de la Independencia 2columna de la Independencia

 
O quarto e último monumento é igualmente famoso e uma das referências mais conhecidas da cidade: a fuente de Diana ou monumento em bronze à Diana la Cazadora. O peso total é de mais de 1 tonelada e tem uma altura de 3 metros. Por muitos anos foi considerada impudica e escandalosa e acabou tendo que usar uma tanguinha improvisada nas nádegas. O escultor Juan Olaguibel trabalhou nela em 1942 e nunca revelou o nome da modelo, só descoberta recentemente. A mexicana Helvia Martinez sempre escutou que era muito feia de seus familiares e por isso se animou a posar por vaidade aos 16 anos, nua, em plenos anos 40! Para evitar perder o emprego e ser expulsa de casa, ela pediu para o escultor guardar o segredo de sua identidade. Ela ficou muito satisfeita com o resultado final, que respeitou até sua "barriguinha".
 
Diana La Cazadora 3Diana La Cazadora 4
Diana La CazadoraDiana La Cazadora - Modelo
 
Todas as fotos (quase 200) em alta resolução da minha viagem:

http://www.flickr.com/photos/moncores/sets/72157603836462681/

Para visualizá-las é necessário um cadastro no yahoo.com ou yahoo.com.br, ou direto no flickr.com

 

É isso.

 
 
Advertisements
This entry was posted in América Latina. Bookmark the permalink.

2 Responses to Cidade do Mexico, Mexico – Janeiro de 2008

  1. Pedro says:

    Mais um show de descrição… detalhes sutís como a comparação com o Champs-Elisées só humilha sutilmente (rs) .. só compara quem já foi!!!!! melhor ainda pra mim que também já pisei (só nesse caso, claro)…. quantos territórios já foram? quantos faltam pra 18? não esqueça que tem de colocar dois exércitos em cada um hein!!!!! Até breve.

  2. Renata says:

    Olá! Pretendo ir ao México em janeiro também. Mas, lá não é inverno? Como estava o tempo por lá?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s