Austin, TX – Dezembro de 2007

 

Outra cidade que resolvemos visitar em um fim-de-semana, enquanto minha tia me visitava aqui nos EUA. Austin fica a 2 horas e meia de carro desde Houston. A viagem foi tranqüila e a estrada estava vazia e perfeita, para variar. A grande planície Texana de vegetação rasteira torna qualquer viagem dentro do Estado um pouco monótona. Escolhemos passar a noite em um hotel de beira de estrada apenas para dormir e pagar cinqüentão por noite para 5 pessoas. O hotel escolhido foi o Baymont Austin/Highland Mall (http://www.baymontinns.com) que era barato, decente, limpo e com bom serviço. O café da manhã estava incluído no preço: US $ 70 por noite (5 pessoas).

 

Austin é uma cidade belíssima, impecavelmente cuidada e muito bem orientada ao turismo. Tanto no Sábado quanto no Domingo fez um frio do cão de manhã é o clima ficou perfeito à tarde. Como viajamos no inverno, todas as árvores estavam peladinhas. Imagino como a cidade deva ficar ainda mais bela na primavera e no outono, quando as folhas estão prestes a cair.

 

Capitol Complex 1Capitol Complex 2Capitol Visitors CenterCapitol Complex 4Congress Avenue Bridge 13Congress Avenue Bridge 16Congress Avenue Bridge 20Covert Park at Mt. Bonnell 26Zilker Metropolitan Park 30

 

Austin é consistentemente colocada em diversos rankings (Forbes, Money, Men’s Journal, etc.) como uma das 10, 25 e 50 melhores cidades dos Estados Unidos para se viver. Aparentemente é uma combinação de clima (a cidade não é tão quente quanto todas as outras do Texas), cuidado metódico e paranóico com o meio-ambiente, crime inexistente, vida social próspera e uma grande quantidade de atrações e diversões para uma cidade tão “pequena” – 700,000 pessoas. Lembra uma Curitiba ultra turbinada. Austin foi considerada várias vezes como a cidade mais “verde” dos EUA em 2006 (revista Money – http://money.cnn.com/magazines/moneymag/bplive/2006/snapshots/PL4805000.html). Como bonus para as mulheres interessadas em morar na cidade, segundo minha esposa os homens americanos em Austin são mais bonitões do que os de Houston. Mas a opinião dela não deve contar muito, porque ela casou comigo, you know…

 

Capitol Complex 15Congress Avenue Bridge 5Covert Park at Mt. Bonnell 25Covert Park at Mt. Bonnell 27Texas State History Museum

 

Iniciamos nosso passeio no Zilker Metropolitan Park (http://www.ci.austin.tx.us/zilker/), um parque público de 2 kilometros quadrados para caminhar, correr e fazer piqueniques. Tem até uma estação na beira do rio incrivelmente limpo que atravessa o parque que aluga caiaques a US 10 a hora. Dever ser um espetáculo na Primavera…

 

tempZilker Metropolitan Park 33Zilker Metropolitan Park 38

Zilker Metropolitan Park 18Zilker Metropolitan Park 21Zilker Metropolitan Park 23Zilker Metropolitan Park 32

 

Após explorarmos um pouco o parque, visitamos o Austin Nature & Science Center (http://www.ci.austin.tx.us/ansc/), uma espécie de mini-zoológico e centro de pesquisa para crianças. Cada criança que traz algo interessante para o centro (um inseto, um animal, uma planta, ossos, pedrinha, whatever…) pode trocá-lo por pontos. Dependo do saldo que a criança tenha, ela troca por itens em exposição dentro do centro. Por exemplo, em escorpião valia 350 pontos e um crânio de cavalo 2,500. Assim a criança que contribui pode levar para casa algum artefato interessante. O lugar é bem equipado para experiências com coisas da natureza: tem microscópios, lupas e outros equipamentos, bem como a assistência de um ex-professor de ciências. A entrada é franca e o centro sobrevive de doações e voluntariado. Dentro do centro há uma pré-escola pública. Imagine como deve ser legal para os pequenos estudar aqui, tão perto da natureza…

 

Austin Nature Center 11Austin Nature Center 13Austin Nature Center 4Austin Nature Center 7cAustin Nature Center 8Austin Nature Center 16

 

Dentro do parque, visitamos também o Jardim Botânico da cidade, o Zilker Botanical Garden (http://www.zilkergarden.org/), que chega a ser emocionante de tão bonito. E olha que nós o visitamos no Inverno! Ótimo lugar para bater papo com os amigos, meditar, relaxar enquanto passeia e lembrar-se de pessoas queridas que já se foram. A entrada é franca, ao menos que você seja fotógrafo profissional. O Jardim Botânico coleta uma receita excelente de noivas que montam seu book neste cenário.

 

Zilker Botanical Garden 19Zilker Botanical Garden 20Zilker Botanical Garden 36Zilker Botanical Garden 41Zilker Botanical Garden 6Zilker Botanical Garden 7 

 

Na hora do almoço fomos à barbecue house Iron Works (http://www.ironworksbbq.com/), considerada pela imprensa especializada uma das melhores carnes do Texas. Mmmmm. A comida foi só regular em termos de sabor, cara (US $ 15 por pessoa, sem refri) e veio em pouca quantidade (um prato feito por pessoa). Isso em nossa opinião, que estamos acostumadas com a fartura e o sabor da comida dos restaurantes em Houston. Valeu pela referencia turística, pela atmosfera texana, mas me pareceu mais um caso de "tourist trap". Ou talvez o meu paladar gourmet não seja sofisticado o bastante para perceber as nuances do sabor d… Nah! Era caro e veio uma miséria. Imperdoável!

 

The Iron Works Barbecue 1The Iron Works Barbecue 5The Iron Works Barbecue 7

 

O barbecue texano completo e tradicional vem com as seguintes carnes: briskets (uma espécie de carne assada cortada em tiras finas – sublime); costelas de boi (um pouco mais durinha do que a gente está acostumado no Sul do Brasil); costelas de porco (que derretem na boca); sausage (não é lingüiça, não é salsicha, não é embutido, é… sausage!); e frango assado (o frango não é temperado antes de ser assado – o tempero vai por fora). Os acompanhamentos típicos: o famoso molho barbecue (adocicado e delicioso quando bem feito); cole slaw (uma salada de repolho com molho branco adocicado); feijões mexicanos (também um pouco adocicados); salada de maionese (adivinha? Um pouco adocicada); milho cozido; e pão branco de forma fatiado. Se você é um daqueles frescos(as) que não mistura doce com salgado, não sabe o que está perdendo…

 

Barbecue - BrisketBarbecue - RibsBarbecue - SausageBarbecue - Texas StyleBarbecue Plate 1Barbecue PlateBarbecue - Ribs 1 

 

Depois do almoço passamos toda a tarde explorando o complexo do Capitólio, que inclui outros importantes prédios do executivo, legislativo e judiciário do Estado. Nem Dallas, nem Houston, Austin é a capital do Texas e, conseqüentemente, o centro político mais importante do Estado. O prédio do capitólio (http://www.tspb.state.tx.us/SPB/capitol/texcap.htm), cuja entrada é franca, é o símbolo da cidade. De arquitetura do século XIX, o prédio hospeda a House of Representatives, o poder legislativo do Estado.

 

Capitol Exterior 13Capitol Interior - House of Representatives 7Capitol Interior 10Capitol Interior 18CapitolCapitol Exterior 4

 

Ao final do dia resolvemos curtir o famoso pôr-do-sol no Lake Travis (http://www.laketravis.com/main_about.htm), a bordo do restaurante “The Oasis” (http://www.oasis-austin.com/). Segundo minha tia, só o trajeto de 20 minutos de downtown até o restaurante já vale o passeio, pois a estrada é uma subida cheia de curvas na beira das montanhas e com vista para o lago. “The Oasis” é um negócio muito bem sacado, tipo três-em-um: atração turística; restaurante familiar de comida Tex-Mex; e bar para after-hours (com música ao vivo e espaço para dança às quartas-feiras). Além da vista espetacular para o Lake Travis e o evento do final do dia, a arquitetura é ímpar. São quatro andares com capacidade para receber 2,000 pessoas, uma linda decoração, pontos estratégicos com telescópios e tem até uma gift shop. O clássico do lugar é a “Perfect Margarita” que é bem cara, mas segundo minha esposa alcoólatra, digo, profunda apreciadora de bebidas com conteúdo etílico, é muito boa mesmo. Pena que a comida é cara e só regular e o atendimento é caótico e muito lento. Provavelmente eles ganham tanto dinheiro que não se preocupam com o essencial. Pouco antes do pôr-do-sol os três estacionamentos gigantescos estavam lotados.

 

The Oasis, restaurant 2Lake Travis 4Lake TravisThe Oasis, restaurant 1The Oasis, restaurant 10The Oasis, restaurant 45The Oasis, restaurant 40The Oasis, restaurant 51The Oasis, restaurant 35

 

Ao anoitecer tentamos comer na Barbecue House mais famosa de Austin, “The County Line on the Lake” (http://www.countyline.com/), mas estava entupido e a fila de espera era de 2 (duas) horas. Detalhe: não têm música ao vivo e eles não aceitam reserva por telefone. Vamos ver se conseguimos ir outro dia à sucursal de Houston…

 

Para fechar o Sábado com chave de ouro, fomos jantar e dançar em uma “dance hall” tipicamente texana “Broken Spoke” (http://www.brokenspokeaustintx.com/). Muito legal que eles deixam crianças entrarem em um lugar desses com os pais. Não que o lugar fosse barra pesada ou inadequado para crianças, mas PARECIA: as instalações eram exatamente como nos filmes e os freqüentadores também. Mas a atmosfera, a música, a dança, a organização e a comida garantiram a diversão. Minhas filhas de 11 e 12 anos tiveram um vislumbre do mundo dos adultos. Vislumbre… estava querendo usar essa palavra há meses! Era um lugar tanto para “caçar” como para casais, com pessoas de 30 anos ou mais. Tinha bastante “ou mais”. O barbecue foi caro e só OK em termos de sabor. A entrada para o “baile cowboy”, US $ 12 por cabeça. A banda era boa, embora o cantor desafinasse de vez em quando. Eu e a Cláudia sabemos dançar razoavelmente bem qualquer estilo (com exceção de Tango), mas confesso que foi difícil entender a mecânica das diversas danças texanas. Talvez a valsa tenha sido a mais fácil. A maior dificuldade de era identificar QUEM estava dançando bem e/ou corretamente na pista, para ter uma base. Às vezes cada um dançava a mesma música de um jeito diferente! Muitos casais meio ou totalmente durões e quase sempre fora do ritmo da música. Contudo, todos pareciam se divertir bastante, sem nada da proverbial frieza norte-americana. Até minha tia foi paquerada por dois deles. E eles não pareciam bêbados… (Sorry, Tia). FYI: só tinham brancos presentes (fora o negão que vos escreve). 65% da população de Austin é anglo-saxã.

 

Broken Spoke 1Broken Spoke 12Broken Spoke 13Broken Spoke 14Broken Spoke 15Broken Spoke 7Broken Spoke 9

 

Iniciamos o Domingo fazendo uma visita ao ponto mais alto de Austin, Covert Park no topo do MT. Bonnell, 240 metros acima do nível do mar. Há um rumor de que qualquer casal que subir os 106 degraus juntos vão se apaixonar ao final do percurso. Provavelmente devido à exaustão física e mental: fica difícil pensar direito… Mas o lugar proporciona um visual de tirar o fôlego. Imagino que vários políticos devam morar as margens do Lake Austin abaixo.

 

Covert Park at Mt. Bonnell 2Covert Park at Mt. Bonnell 21Covert Park at Mt. Bonnell 29Covert Park at Mt. Bonnell 33

 

Em seguida, descemos para downtown a procura do famoso Renaissance Market (http://www.austinartistsmarket.com/), mas infelizmente só havia 4 barraquinhas, pois chegamos em uma época ruim para um mercado de artesanato de rua como esse.

 

Renaissance Market 2Renaissance Market 3Renaissance Market 4Renaissance Market

 

Decidimos dar uma passada na loja do time mais famoso de College Football do Texas: os Longhorns. A loja é uma aula de marketing esportivo. Mais uma coisa que temos muito a aprender no Brasil e na Argentina: como ganhar dinheiro (de verdade) com futebol. Administração de marca é tudo, mas exige dedicação e profissionalismo. A loja tem três andares: seção masculina, feminina e infantil. De chaveiros a jogos de quarto, tudo tem o logo do time. Até produtos que juntam o melhor de dois mundos: a marca do time e uma marca famosa (Nike, um dos patrocinadores). Vejam que a loja é da Universidade… Impressionante.

 

Texas Long Horns Store 12Texas Long Horns Store 3Texas Long Horns Store 35Texas Long Horns Store 38Texas Long Horns Store 40Texas Long Horns Store 5

 

Fizemos ainda um passeio a pé pela rua mais famosa de Austin, a 6th Street (http://www.6street.com/), mas imagino que deva ser muito mais divertido à noite, pois é o centro da vida noturna de Austin. De manhã estava um deserto.

 

Austin Downton 12Austin Downton 15Austin Downton 22Austin Downton 31Austin Downton 32Austin Downton 35

 

Terminamos o segundo dia cruzando a famosa Congress Avenue Bridge (http://www.batcon.org/home/index.asp?idPage=122), que atravessa o rio Colorado e hospeda em suas bases mais de 750 mil morcegos. Em alguns meses do ano a colônia chega a ter um milhão e meio de membros. Não os sugadores de sangue (que correspondem a apenas 1% do total de espécies de morcego existentes na Terra), mais os insetívoros. Infelizmente não deu para ver nenhum: chegamos ao meio-dia e eles só levantavam vôo à noitinha. É a maior colônia urbana de morcegos nos EUA e consomem até 15 toneladas de insetos todo ano. Aparentemente a melhor época para observar a revoada é no final do Verão. 

 

Congress Avenue Bridge 12Congress Avenue Bridge 9

 

O vídeo abaixo dá uma idéia de como deve ser legal: 

 

 

Austin é um grande lugar para visitar. Quem sabe não voltamos para ver os morcegos? Ou isso ou voltar para o Brasil e tentar o concurso público da Petrobras ou do Banco do Brasil, passar e depois vê-los o ano inteiro.

 

Todas as fotos (mais de 200) em alta resolução da nossa viagem:

http://www.flickr.com/photos/moncores/sets/72157604755121648

Para visualizá-las é necessário um cadastro no yahoo.com ou yahoo.com.br

 

É isso.

Advertisements
This entry was posted in Estados Unidos. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s