Agosto de 2007 – Ilha de Oahu, Hawaii (parte 1/2)

 

Nossa primeira "férias dos sonhos" foi, naturalmente, a Disneyworld. Mas essa história fica para o blog que inaugurarei brevemente, contando nossas experiências desde que imigramos para os EUA.

 

Essa entrada no blog é dedicada àquela que nós quatro consideramos as férias mas espetaculares de todos os tempos. Porque viajo bastante, acumulo milhas (média de 250,000 por ano) que podem levar minha família para virtualmente qualquer lugar do planeta. Então, por que não gastar 15 dias de férias logo de cara no Hawaii? Içaaaaaaa!

 

Como iríamos para um lugar com reputação de custo altíssimo, decidimos ficar em um hotel limpo, bom e baratinho. Com exceção notável de três resorts mais retirados (Mariott, Turtle Bay e outro que não me recordo), praticamente todos os hotéis ficam em Waikiki, maior cidade da ilha de Oahu. Os preços das diárias são indecentes, já que a ilha recebe turistas o ano inteiro. Oferta e procura. Ficamos em um Hotel que, em minha opinião proporciona o maior valor acomodação x dinheiro pago: Aqua Waikiki Wave (http://www.aquaresorts.com/aqua-waikiki-wave/). Para garantir uma boa barganha, fiz a reserva com 6 meses de antecedência, mas paguei o total das 14 noites adiantado. Por um valor muito baixo, se comparado aos outros hotéis da ilha, tínhamos acesso a Internet, mini-geladeira, microondas, ferro e tabua de passar e cafeteira (com café renovado todo dia), tudo isso sem pagar nenhum extra. Creio que todos os hotéis da rede Acqua tem o mesmo padrão. Eu consegui essa boa indicação no meu site predileto para viagens: http://www.tripadvisor.com. Nele os reviews são feitos pelos próprios hóspedes…  A vista do nosso hotel, que ficava a duas quadras da praia de Waikiki, até que era bem bonita.

 

Hotel - Aqua Waikiki WaveHotel Room 1Hotel Room 2View from the hotel 1

 

A outra opção que fizemos foi alugar um carro, já que iríamos explorar a ilha e não ficar dentro do hotel. A idéia era: cada dia dois localidades diferentes, uma pela manhã e outra a tarde. Mesmo assim não conseguimos em 15 dias explorar todas as coisas legais de Oahu. O carro escolhido foi um conversível da Chrysler. Por que um conversível? Ora, eram as férias dos nossos sonhos e tínhamos economizado em hotel… O fato de escolhermos esse tipo de modelo foi uma das felizes idéias da minha esposa. Muuuuito legal. Eu confesso que fiquei várias vezes tentado a usar o botão ejetor do banco do carona, mas a idéia dela de alugar o carrão foi realmente boa e ela cozinha bem… A única coisa chata era a batalha diária para encontrar uma vaga para o carro, mesmo pagando US $ 18 por dia para o hotel pelo estacionamento: nem sempre havia vaga. Estacionamento em Oahu é um luxo.  

 

Chrysler Convertible 10Chrysler Convertible 15

 

O Hawaii não é para os fracos de coração: esse arquipélago de origem vulcânica, isolado no meio do Pacífico, é uma das jóias do planeta e tem uma beleza de tirar o fôlego. Paixão à primeira vista. Para que vocês tenham uma idéia, quando estávamos na praia de Lanikai, minha esposa olhou para mim e disse: “Eu viveria aqui o resto da vida”. Não foi um comentário bobo ou deslumbrado. Só um fato. De virar a cabeça de qualquer um.

 

Halona BeachLanikai Beach 16Papaoneone Beach 40Shark's Cove 11View from Diamond Head 10View from the plane 4Waikiki Beach 22Hanauma Bay 1HD Makapu'u Beach Park 1aYokohama Bay 9 

 

Não há como evitar o clichê. O Hawaii é o paraíso na Terra. Eu disse isso para uma senhora americana de uns setenta e muitos anos quando estávamos na praia de Kailua e ela me disse que está pertinho de ir para um lugar como o Hawaii logo depois de sua morte. Humor negro, arte dominada por poucos…

 

HD Ala Moana Beach ParkHD Kailua Beach Park 1HD Kawela Bay - LOST Site 23HD Mariott Hotel at Ko OlinaHD Nuuanu Pali - Lookout 12Kailua Beach Park 22

 

Nenhuma paisagem é igual à outra e, principalmente, nenhuma praia se parece com outra. As montanhas, a vegetação, a cor da água, o céu, os sons naturais, o tipo de areia, existe um montão de fatores que trazem uma infinidade de combinações, cada uma com uma beleza ímpar. Algo como quando você olha no interior de um caleidoscópio enquanto sacode o bagulho. Os puristas vão me matar, mas as praias brasileiras, incluindo as nordestinas, catarinenses e cariocas, embora muito lindas, não se comparam. Tem que ver para crer. Quando Deus fez o Hawaii estava tão inspirado como na ocasião da criação da mulher. O CARA caprichou demais!

 

HD HonoluluHD Kahana Bay 1aHD Lanikai Beach 1HD Papa'iloa BeachHD Turtle Bay 3HD Waikiki Beach 29

 

Depois de tanta hipérbole, vamos aos fatos. Esse arquipélago de 70 milhões de anos de idade (praticamente um garoto, do ponto de vista geológico) é a cadeia de ilhas mais isolada do mundo. O coqueiro não é nativo do Hawaii, mas a espécie se adaptou bem pacas: é uma árvore onipresente na ilha. Todos os mamíferos das ilhas foram trazidos por humanos (com exceção do morcego havaiano), que iniciaram a colonização delas em 1,000 AD. Muito provavelmente uma galera do Taiti. As tribos que viviam aqui inicialmente tinha um listão de tabus chamado kapu. A idéia era manter a ordem na sociedade (importante, em lugar tão isolado) e a penalidade por quebrar um deles era a morte por estrangulamento, a cacetadas ou queimado. Se a ofensa era considerada séria o suficiente, a família do(a) infeliz era morta da mesma forma. Era kapu interromper o chefe da tribo quando ele estava falando. Era kapu preparar a comida de um homem na mesma vasilha usada para a comida das mulheres. Era Kapu para um homem e uma mulher comerem juntos. Lugar muito legal para ser casado. Pois é, mais foi há muitas décadas atrás. Bons tempos que não voltam mais…

 

Kawela Bay - LOST Site 37Kuhio Beach - The Ponds 1Kuhio Beach - The Ponds 3Lana'i Lookout 12Lana'i Lookout 4Mariott Hotel at Ko Olina 5 

 

O Hawaii foi “descoberto” pelo inglês James Cook, em 1778. Como o cara era um armário (1,80m x 1, 20m) e a chegada dele coincidiu com uma lenda dos locais de que um Deus chamado Lono iria chegar pelo mar, não precisou de nada para que eles o tratassem como o tal. O problema é que os havaianos começaram a suspeitar: se eles eram deuses, porque aceitavam as mulheres havaianas de presente? Daí para os matarem foi um pulo. De certo morreram com um sorriso sacana nos lábios…

 

Kahana Bay 51Nuuanu Pali - Lookout 19Oahu Miscellaneous 10Oahu Miscellaneous 16Papa'iloa Beach - LOST Site 6Papaoneone Beach 10

 

Com aproximadamente 60% da população de origem asiática (a maior parte, japoneses) e 20% de havaianos nativos, mais uma quantidade absurda de turistas orientais, o Hawaii é uma terra com um montão de gente igual de olhos puxados. Afro-americano, digo, negão, é muito difícil encontrar. Casais de etnias diferentes? Mais americanos com asiáticas. O contrário eu vi um único exemplo durante toda a viagem. Provavelmente porque nenhum asiático machão domina uma americana WASP típica: independente, que conhece seus direitos, não prendada nas coisas do lar e cheia de atitude. Eis algumas "figuraças" havaianas:

 

Hawaii Character 1Hawaii Character 2Hawaii Character 4Hawaii Character 5Hawaii Character 6Hawaii Character 8Hawaii Character 9

 

A língua Havaiana soa muito bem e as musicas locais são lindas. Também não dá para parar de pensar em brincadeiras infantis e piadas de duplo sentido quando você encontra nomes de cidades e logradouros como KAHUKU, KUAMOO, KALAIMOKU, WAIKOLU, KAPAHULU, NUUANU, KUKUI, LULUKU, KUMUHAU e a imbatível KEEAUMOKU. KU é o deus da Guerra. Dá para fazer um especial de fim-de-ano do Casseta e Planeta aqui. LU’AU significa “festa havaiana”. Nós não fomos porque era US $ 80 por cabeça. HULA significa “uma dança que conta uma história”. ALOHA significa olá e adeus, ao mesmo tempo. Deve ser difícil terminar uma ligação telefônica no Hawaii dizendo “ALOHA!”, não é mesmo? Tá bom, ta bom, foi muito fraca… MAHALO, para minha esposa, que é loira, significa “LIXO”, porque estava escrito na lixeira do Mac Donald’s. Na verdade significa “OBRIGADO”… Sorry, honey!

 

Pali Highway 17Papa'iloa Beach 18Papaoneone Beach 35Queen's Beach 6Sandy Beach 2Shark's Cove 17

 

Interessante notar as peculiaridades locais em função dessa imensa população de clones asiáticos. Era irritante perguntar aos vendedores orientais quanto custava um produto, para escutar que era US $ 20, mais que ele/ela fazia por US $ 15, para depois na saída dizer que era na verdade US $ 10. A propaganda visa um publico diferente ao que estamos acostumados na América Latina ou mesmo nos EUA continental. Vejam as fotos que tirei de alguns cartazes e entenderão o que quero dizer. Até o especial de Café da Manhã do McDonalds vem com um montão de arroz. A loja da Disney tinha alguns motivos de decoração completamente diferentes daqueles que conhecemos em Houston e Orlando (Florida). Enquanto aqui no Texas o espanhol é a segunda língua, no Hawaii é o japonês. Até o jornal local, o Honolulu Advertiser (http://www.honoluluadvertiser.com) tem uma versão impressa em japonês.

 

Hawaii - Ad 5Mc Donald's BreakfastAla Moana Shopping Center - Disney StoreHawaii - Ad 4Ala Moana Shopping Center - Disney Store 1Ala Moana Shopping Center - Disney Store 2Hawaii - Ad 6Hawaii - Ad 1Hawaii - Ad 2Hawaii - Ad 3

 

Para um marinheiro latino-americano de primeira viagem o havaiano em geral é grosso, especialmente em um lugar tão caro, onde a indústria de turismo é tudo. Mas depois de viver nos EUA quase dois anos, pode-se dizer que eles são muito gentis. Para os não iniciados a América é a terra do “faça-você-mesmo-seu-inútil”. Serviço aqui é muito caro e cortesia, boa educação, pro-atividade, paparico, são muito bem cobrados.

 

O custo de vida é muito alto, comparável ao da Califórnia. Oahu é o segundo local mais caro para se comprar uma casa na América. Enquanto em Houston você compra uma casa excelente, que para padrões brasileiros parece uma mini-mansão, a partir de US $ 150,000, em Oahu as casas novas custam a partir de US $ 750,000. Na beira da praia, US 6 milhões, dependo do local, como Lanikai (Ah, Lanikai…). E o pior é que são casas “fraquinhas” em termos de tamanho, estética e funcionalidade, comparada com às de Houston (que não é o local mais barato dos EUA). Mas o alto custo é perfeitamente explicável. Quer viver no paraíso antes de morrer? Vai pagar caro, seu pobre!

 

Diamond Head Rd. 16Diamond Head Rd. 17Diamond Head Rd. 9Kuhio Ave. 2Lanikai Beach 12Lanikai Beach 14Oahu Homes 3View from the hotel room 1

 

O transito em Oahu é caótico (para padrões americanos) devido à falta de espaço, montes e montes de mulheres japas no volante, ausência de policiais no centro da cidade em uma quantidade decente e uma sinalização digna do Rio de Janeiro: indecifrável, inútil e absurda. Dirigir no Hawaii exige paciência, calma, bom humor e o Google Local (grande companheiro de todas as horas!). 

 

Oahu hospeda o melhor sistema de detecção de maremotos do planeta (http://www.prh.noaa.gov/ptwc/hawaii.php), que monitora o pacífico constantemente. Várias fotos que tirei mostram “pedaços” do sistema, incluindo as sirenes estrategicamente colocadas em alguns pontos da ilha. O Google ajudou o governo havaiano a fazer rotas eletrônicas de evacuação para áreas de risco da ilha. Deve ser legal um dia quando as sirenes tocarem para valer e gerar aquela correria e um pega-pra-capar de verdade.

 

Kahana Bay 64Yokohama Bay 6

 

O legal de ter essa mini cozinha no quarto foi a possibilidade de fazer compras no COSTCO e no WalMart, com a finalidade de fazer algumas refeições no hotel e economizar uma baba nos restaurantes. É, eu sei, uma vez pobre, sempre pobre. Mas entendam que uma refeição decente em um restaurante razoável em Oahu para 4 pessoas não sai por menos de US $ 80 (em média), mesmo assim dividindo pratos. Comemos bastante em fast-food (Mc Donald’s, KFC, etc.) que, ironicamente, proviam disparado a comida mais barata da ilha. Não foi lá muito saudável, mas economizamos uma pequena fortuna. Não contribuiu para a dieta e só aumentou minha hipertrofia muscular.

 

Apesar do orçamento apertado, pudemos comer em alguns lugares bem bacanas. O melhor foi o italiano Bucca di Pepo (http://www.bucadibeppo.com/), uma cadeia norte-americana que serve porções monstruosas por um preço justo. A comida era uma delícia e você tinha a opção de fazer uma visita à cozinha. Destaques para a salada verde com pedaços de maçã e queijo gorgonzola, e para o maracarrão apimentado à romanesca com camarões à milanesa.

 

Buca di PeppoBuca di Peppo 1Buca di Peppo 3Buca di Peppo 9Buca di Peppo 4Buca di Peppo 8aBuca di Peppo 8bBuca di Peppo 8cBuca di Peppo - Tiramisu

 

Outro destaque foi a pequena rede local “I Love Country Café” (comida asiática/havaiana). E quase inacreditável que uma comida tão deliciosa e servida de maneira impecável e em grandes quantidades, possa custar tão barato. E no centro de Oahu! É um dos restaurantes favoritos dos moradores locais.

 

I Love Country Cafe - HonoluluI Love Country Cafe - Honolulu 1I Love Country Cafe - Honolulu 2I Love Country Cafe - Honolulu 4I Love Country Cafe - Honolulu 5I Love Country Cafe - Honolulu 6I Love Country Cafe - Honolulu 7I Love Country Cafe - Honolulu 8

 

Entre os lugares que nós escolhíamos para o café-da-manhã, a campeã foi a padaria havaiana “Agne’s Bakery”. Você leu direito: padaria. A ilha é cheio delas, algo pouco usual nos EUA (bem, pelo menos no Texas), provável herança da imigração portuguesa no arquipélago, tempos atrás.

 

Agne's Bakery 1Agne's Bakery 3Agne's Bakery 4Agne's Bakery 5

 

Comer no badalado Giovanni’s Shrimp Truck não foi assim tão legal. Cada prato custava US $ 18 e só vinha com arroz. Você podia escolher três temperos para comer os parcos 6 camarões pistola: manteiga derretida com limão, molho de alho e o apimentado. O gosto era OK (escolhemos os dois primeiros), mas o problema era a limpeza (ausência de) do lugar, especialmente as moscas na cozinha que ficavam pousadas nos pratos prontos. Eles eram tão mal-educados que se você reclamasse que tinha uma mosca no seu prato, o atendente te respondia: “fala baixo se não os outros vão querer também…”.

 

Giovanni's Shrimp Truck 1Giovanni's Shrimp Truck 4Giovanni's Shrimp Truck 2

 

Uma grande decepção foi o único restaurante brasileiro da ilha: uma pseudo churrascaria chamada "Tudo de Bom". Os americanos adoram (veja uma crítica especializada aqui – http://onokinegrindz.typepad.com/ono_kine_grindz/brazilian/index.html). Mas para nós pagamos US $ 30 por cabeça para um rodizío de segunda categoria. O famoso SHAVE ICE havaiano (http://www.matsumotoshaveice.com/) foi outra grande decepção: não passa de um sacolé subdesenvolvido, gelo moído com ki-suco. As crianças adoraram…

 

Aoki's Shave Ice 1Aoki's Shave Ice 2Aoki's Shave Ice 

 

Outro lugar maneiro foi o Ted’s Bakery, que nos serviu um hambúrguer delicioso ao molho teriyaki por um preço inacreditável de tão baixo. O lugar ficava no litoral norte da ilha, que fervilha de surfistas de todo o mundo no Inverno. Peguei essa dica quente de um fórum de surfistas na Internet.

 

Ted's Bakery - Nort ShoreTed's Bakery - Nort Shore 1Ted's Bakery - Nort Shore 2Ted's Bakery - Nort Shore - Bento

 

 

Continua…

Advertisements
This entry was posted in Estados Unidos. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s