Outubro de 2006 – Madrid, Espanha

 

Fui a Espanha a trabalho, pela primeira vez na vida, mas tive bastante tempo livre para vagar pela cidade de Madrid. No geral foi muito legal, embora cansativo, pois o melhor jeito de conhecer a cidade é a pé. Recomendo-a para aqueles que curtem um lugar romântico, lugares históricos (uma quantidade absurda de museus) e boa comida e bebida. Os espanhóis são muito elegantes, mesmo quando vestidos casualmente. O clima (em Outubro) é ameno, embora chova quase todo dia. O custo de vida é alto, e o câmbio não ajuda (mesmo para quem é “turista americano” como eu), como em qualquer capital européia. O povo é culto, politizado e amistoso, mas não caloroso. Alguns são muito arrogantes e outros extremamente grossos. Creio que por isso o serviço, em geral seja tão ruim, estilo: vire-se; se quer OK, se não quer foda-se.; fala rápido que estou ocupado batendo papo com meus colegas de trabalho ou fazendo nada; o prato é esse e não mudamos nada; e coisas desse tipo. Para se ter uma idéia, creio que seja o único lugar do mundo em que você tem que fazer fila em uma livraria para pedir informação… Eu tenho um amigão no Brasil que é Argentino, mas tem ascendência espanhola. Imaginem o cara…

 

O espanhol parece extremamente religioso. Creio que devido a séculos de herança católica, refletida em hábitos, culturas, comportamento individual e na grande quantidade de igrejas e monumentos religiosos.

 

Basilica Pontifica de San Miguel 1Catedral de la Almudena 1Catedral de la Almudena 10 

 

A cozinha espanhola é brincadeira: absolutamente rica. As porções são bem servidas, embora não sejam “animais”. Você encontra paella de todos os tipos: de microondas (armadilha especial para turistas); de frutos do mar; com coelho; com frango; vegetariana (heresia?); etc. Os doces são um absurdo de gostosos. Existe mais de 800 tabernas em Madrid (de acordo com uma fonte local), a maioria com arquitetura do século XIX. São lugares que parecem sempre cheios, bons para bater papo e servindo pratos deliciosos como tapas (aperitivos) e o cocido (cozido). Tem tapas de tudo quanto é tipo e que deve ir bem com cerveja gelada (eu não bebo). São tapas de chorizo, jamon serrano (presunto), albondigas (almondegas com molho picante), fritura de pescados, almendras fritas, mexilhoes, patatas bravas (batatas cozidas apimentadas: imperdível), calamares fritos, banderillas (um tipo de canapé delicioso).  Eu experimentei a comida de duas tabernas: La Bola (grande cocido: http://www.labola.es/) e la Casa del Abuelo (grande camarão: http://www.lacasadelabuelo.es), duas das mais tradicionais. Os diferentes tipo de presuntos também impressionam tanto o paladar como a visão. Fora as tapas, falando em comida de verdade (e a sempre campeã paella) os destaques deliciosos são: Pimientos Rellenos (pimentão vermelho recheado com frutos do mar); Fabada (um cozidao que tem toucinho e morcilla); Pisto (outro cozidao que tem pimenta, tomate, cebolas e abobrinha); gazpacho (uma sopa metido a besta); Pollo de Ajilo (frango frito com allho – yammmmmy); e uma sobremesa chamada “tocino de cielo”, feita de creme e caramelo.

 

Madrid - Comida 1Madrid - Comida 2Madrid - Paella

Madrid - Jamoneria 4Madrid - Dulces 2Madrid - Tapas

 

A arquitetura de Madrid, uma mistura de séculos de estilos diferentes e’ arrebatadora. No inicio e’ meio “too much” aquela mistureba, mas depois você se apaixona. Uma das fotos, “Gran Via – Palacio de La Musica”, e’ uma verdadeira jóia da Art Deco (http://en.wikipedia.org/wiki/Art_Deco).

 

Banco de Espana 3Calle de Genova 1
Gran Via - Palacio de La MusicaGrand Via - Edifício MetrópolisPaseo de la Castellana 20

 

Madrid é dividida em três grandes áreas: a Madrid “velha”, a área de influencia da Dinastia Bourbon e a região de La Castellana. Eu gastei mais meu tempo na Madrid “velha”.

 

Plaza Mayor – Século XVII, o centro da Madrid “velha”. Bom lugar para sentar e curtir as pessoas passando na rua, enquanto se saboreia uma tapa. Muita coisa importante aconteceu aqui, desde touradas, passando por inquisições e até execuções públicas, frequentemente na presença de reis e rainhas. No centro da praça fica a estátua eqüestre de Felipe III. Ele foi um dos reis espanhóis da época das vacas gordas (el siglo de oro), quando o poder militar e político da Espanha eram incontentáveis, época da conquista e exploração das colônias americanas.

 

Plaza Mayor 8Plaza Mayor 9Plaza Mayor N1Plaza Mayor N5

 

Mercado de San Miguel – Construído no século XIX todo em ferro é como se fosse uma grande feira livre, com especialidade em pescados. Por causa da competição pesada com os grandes mercados, a freqüência das barraquinhas anda decaindo.

 

Mercado San MiguelMercado San Miguel 1 

 

Plaza de la Villa – Alguns dos prédios dessa praça foram construídos no século XV, como a Torre de los Lujanes (sede da Real Sociedad Económica Matritense de Amigos del País – http://www.economicamatritense.com/), e estão entre os mais velhos de Madrid. Todos foram restaurados recentemente.

 

Plaza de la Villa - Casa de Cisneros 1Plaza de la Villa - Casa de Cisneros 2
Plaza de la Villa - Casa de la Villa 2Plaza de la Villa

 

Puerta del Sol – Cheio de lojinhas (que cobram os tubos pelas lembrancinhas) e de cafés. Tem um imenso billboard do Tio Pepe, uma marca famosa de sherry (vinho seco e doce), que acabou virando sinônimo desse local. Também há uma foto do “Quilometro Zero”, que marca entrada original da cidade de Madrid e da rede de estradas. A estátua de Carlos III foi colocada na praça recentemente. Esse rei era um tipo de Jaime Lerner com esteróides: foi considerado o melhor “prefeito” que Madrid já teve e um grande urbanista. A Casa de Correos foi construída por ele em 1760, já foi sede Ministério do Interior e palco de algumas atrocidades durante o regime de Franco e hoje é sede do governo regional (http://www.madrid.org/lapresidencia/index.html). Tem um relógio que regula a maior festa de ano novo da cidade. Esta praça também possui uma estatua em bronze com o símbolo da cidade: um urso tentando alcançar o “madrono” (uma arvore de morangos).

 

Puerta del Sol - Casa de Correos 1Puerta del Sol - Casa de Correos 2
Puerta del Sol - Madrid Symbol IIPuerta del Sol - Tio Pepe

 

Catedral de la Almudena – Em minha opinião, o prédio histórico mais legal de Madrid e, de quebra, de entrada grátis. Devo confessar que mesmo um cético como eu, não pôde ignorar o efeito dentro da catedral: inspira tranquilidade e incita à reflexão. Ela começou a ser construída em 1879 e terminada em 1993.

 

Catedral de la Almudena - Inside 10Catedral de la Almudena - Inside 21
Catedral de la Almudena - Inside 37Catedral de la Almudena - Inside 6
Catedral de la Almudena - Inside 7Catedral de la Almudena

 

Muralla Árabe – Além do nome da cidade, Mayrit, essas ruínas datadas do século IX são uma das poucas coisas concretas que restaram da herança moura.

 

Muralla Arabe 1Muralla Arabe 2Muralla Arabe 3Muralla Arabe

 

Palácio de Santa Cruz – Foi construída como a prisão da cidade no século XVII, destino dos condenados dos tribunais de inquisição, chamados candidamente na Espanha “Autos de Fé”.  Certamente esse período não foi um dos melhores momentos da historia da Igreja Católica. Agora é o prédio do Ministério de Relações Exteriores (http://www.mae.es).

 

Palacio de Santa Cruz 1Palacio de Santa Cruz

 

Palácio Real (http://www.patrimonionacional.es/preal/preal.htm) – Lindíssimo e de visita obrigatória. Os reis atuais da Espanha (Juan Carlos I) só vêm aqui em ocasiões especiais de Estado (eles vivem em um lugar mais modesto, chamado Palácio de Zarzuela). Todo em mármore e granito italiano, e mais tarde com decoração francesa (inspiração do Palácio de Versalhes), foi construído no século XVI para ser ambos, palácio e forte. De fato o prédio original, dos invasores mouros (árabes), era um forte.

 

Palacio Real - Dining Room 2Palacio Real - Inside 1c
Palacio Real - Inside 32Palacio Real - Inside 52
Palacio Real - Jardines del PalacioPalacio Real - Throne Room 2
Palacio Real 3Palacio Real 7

 

Colegiata de San Isidro (http://www.congregacionsanisidro.org) – Construída no século XII, foi a catedral da cidade por muitos séculos, ate que a Catedral de la Almudena fosse terminada. Tirei boas fotos daqui, embora tenha levado um esporro do Padre por tirar fotos durante a missa. Tsk tsk, lamentável…

 

Colegiata de San Isidro 11Colegiata de San Isidro 12Colegiata de San Isidro 13Colegiata de San Isidro 8Colegiata de San Isidro 9Colegiata de San Isidro 6

 

Paseo de la Castellana – É um "boulevard" (avenida cheia de árvores) enorme e longo, que representa um dos eixos comerciais e administrativos de Madrid. Eu levei 2 horas para percorrer-la a pé e ainda não venci toda sua extensão. Uma das fotos é do CESEDEN – http://www.ceseden.es/, muito bem guardado por caras armados até os dentes. O Museo Arqueologico Nacional foi fundado pela rainha Isabel II em 1867. Estádio Santiago Bernabéu (http://www.santiagobernabeu.com/) é o famoso templo do Real Madrid.

 

Paseo de la Castellana - CESEDENPaseo de la Castellana - Estadio Santiago BernabeuPaseo de la Castellana - Plaza de PicassoPaseo de la Castellana 11Museo Arqueologico NacionalPaseo de la Castellana

 

Plaza de las Cibeles – A estatua greco-romana de Cibele, deusa da natureza, e a fonte são um dos cartões postais de Madrid (muitos consideram o símbolo de Madrid). Foi construída no século XVIII.

 

Plaza de Cibeles 1Plaza de Cibeles 4

 

Fotos completas e em alta resolução:

Grupo 1 – http://www.flickr.com/gp/14007031@N04/EvG944

Grupo 2 – http://www.flickr.com/gp/14007031@N04/Rs62p2
Para visualizá-las é necessário um cadastro no yahoo.com ou yahoo.com.br

 

E’ isso… 

Advertisements
This entry was posted in Europa. Bookmark the permalink.

One Response to Outubro de 2006 – Madrid, Espanha

  1. Jurandyr says:

    Que bom que meu filho possa fazer o que sempre quis fazer: Viajar por outras terras, principalmente aquelas que contem em seus museus, monumentos ou geologia, vestígios indeléveis da nossa História. Maravilhoso que tenha um altamente desenvolvido dom de saber descrever coisas, objetos, fatos, reações e, princialmente, pratos (o cidadão sempre foi um gastrônomo inveterado). O cara escreve e descreve de uma forma que, nem eu saberia fazê-lo rs rs rs… Agora só restará a ele, entender a viagem que seu velho ´pai se determinou a empreender e, pacientemente acompanhar os curtíssimos e pouco eloquentes posts que este percurso irá gerar. Boa sorte filho !

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s